1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Mantega diz que juros do cartão de crédito são ‘escorchantes’

Raquel Landim, de O Estado de S. Paulo

15 Setembro 2012 | 22h 39

Em entrevista ao ‘Estado’, ministro da Fazenda afirmou que não será necessário o Banco Central elevar juros no ano que vem

SÃO PAULO - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que os bancos estão cobrando taxas "escorchantes" no cartão de crédito, que são injustificáveis. "Esses disparates têm de desaparecer", afirmou, em entrevista ao ‘Estado’, na sexta-feira à tarde, em seu escritório em São Paulo. "Estamos preocupados com os cartões de crédito. E, se nós estamos, é bom que eles (os bancos) também se preocupem."

Os spreads bancários se tornaram uma das principais brigas do governo Dilma Rousseff, que quer ver chegar ao consumidor o efeito do forte corte promovido na taxa Selic, utilizada como referência para os empréstimos no País. Normalmente comedido ao falar dos rumos da Selic, Mantega, dessa vez, foi categórico. "Não há necessidade de alta de juros", disse.

O ministro está seguro de que os preços vão se manter sob controle no ano que vem, apesar da recuperação da economia e ao contrário do que projetam consultorias renomadas. Não só a crise global vai elevar a oferta de produtos internamente a preços baixos, diz o ministro, como também as medidas adotadas pelo governo vão ajudar.

Para o titular da Fazenda, a desoneração da folha de pagamentos, a redução do custo da energia e o corte de IPI para carros colaboram para manter os preços estáveis. "E também não pode levar em consideração choque de oferta", frisou, referindo-se ao aumento do preço dos grãos, provocado pela quebra da safra americana. "Não adianta elevar juro para diminuir preço nos Estados Unidos."

Câmbio

Mantega também não mediu palavras para garantir que não permitirá que a injeção de liquidez promovida pelo Federal Reserve (Fed, o banco central americano) impacte a moeda brasileira. "Nós não vamos deixar o real se valorizar."

Ele negou que exista um "piso" para o dólar, que está há quatro meses acima de R$ 2, e repetiu que o câmbio é "flutuante", mas deixou clara sua preferência. "O câmbio vai continuar flutuante, mas nós esperamos que flutue mais para o lado oposto. Antigamente ele flutuava em uma direção. Agora, ou tem estabilidade ou vai flutuar na outra."

O ministro reagiu com ironia às acusações dos Estados Unidos de que o Brasil tomou uma medida protecionista ao elevar os impostos de importação para 100 produtos. "Quem nos acusa? É cara de pau. É um dos que mais tomaram medidas protecionistas. Fizemos tudo dentro das regras da OMC (Organização Mundial de Comércio)".

Mantega admitiu, no entanto, que o governo interferiu diretamente na negociação de preços entre os setores, ao elevar as alíquotas de produtos como aço, mas mandou um recado direto para as siderúrgicas que reajustarem preços. "Nós queremos que a indústria de aço continue prosperando no Brasil, Mas é muito simples. Se subir o preço, volto atrás e reduzo a zero a tarifa."

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo