1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Pearson planeja cortar 10% da força de trabalho

- Atualizado: 21 Janeiro 2016 | 21h 58

Gigante da educação reduziu a previsão de lucro por conta da queda nas matrículas e do recuo nas vendas de livros; grupo, que vendeu o 'Financial Times' e uma fatia na 'The Economist', passa por reestruturação

O grupo britânico Pearson, dono do Grupo Multi no Brasil, lançou um plano de corte de custos e informou que pretende cortar 10% da força de trabalho depois de reduzir sua previsão de ganhos anuais. A empresa disse que subestimou o impacto das pressões sobre suas operações em mercados importantes.

Agora o Pearson espera ter lucro operacional ajustado de 800 milhões de libras (US$ 1,13 bilhão) em 2018, com base na recuperação de seus negócios nos EUA e no Reino Unido. O corte de empregos deverá somar 4 mil. "Nós estamos nos movendo rapidamente para implementar essa reestruturação e estamos planejando concluir a maior parte até metade do ano e todo o plano até o fim do ano", afirmou o grupo em comunicado.

Após se desfazer do 'FT', Pearson vendeu fatia na 'The Economist'

Após se desfazer do 'FT', Pearson vendeu fatia na 'The Economist'

O Pearson comentou que o aumento do emprego e das regulações nos EUA resultaram em uma queda de aproximadamente 10% nas matrículas em educação de alta qualidade, de cerca de 21 milhões no auge em 2010 para cerca de 19 milhões em 2015. Além disso, algumas matrículas no Reino Unido diminuíram e as compras de livros na África do Sul recuaram significativamente.

"Combinados, esses fatores reduziram o lucro operacional do Pearson em aproximadamente 230 milhões de libras em relação ao pico. Nós superestimamos a rapidez com que esses mercados voltariam a níveis sustentáveis de receitas e lucros", informou.

O Pearson vem reestruturando suas operações e poupou centenas de milhões de dólares nos últimos anos para combater uma desaceleração em mercados maduros e se expandir em economias emergentes, como Brasil e China. No ano passado, o grupo vendeu o jornal Financial Times e também uma fatia de 50% na revista The Economist.

A empresa informou que prevê um lucro operacional ajustado de aproximadamente 720 milhões de libras em 2015 e ganhos por ação ajustados entre 69 pence e 70 pence. A previsão anterior para o lucro por ação era de um valor perto do piso da faixa de 70 pence a 75 pence. O Pearson pretende propor um dividendo final de 34 pence por ação, gerando um dividendo total em 2015 de 52 pence por ação, 2% acima do valor de 2014. (Com informações da Dow Jones Newswires).

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX