1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Receita da Bradespar tem queda e prejuízo avança 477% no quarto trimestre

- Atualizado: 21 Março 2016 | 12h 01

No período, a empresa registrou perdas de R$ 1,982 bilhão; companhia, que recebe dividendos da Vale, Valepar e CPFL, teve diminuição da receita operacional

SÃO PAULO - A Bradespar, empresa de investimentos acionista da Vale e CPFL Energia, registrou prejuízo de R$ 1,982 bilhão no quarto trimestre de 2015, um avanço de 477% na comparação com o resultado também negativo de R$ 343,146 milhões no mesmo período do ano passado. No acumulado do ano de 2015, o prejuízo foi de R$ 2,59 bilhões, revertendo assim um lucro de R$ 101,483 milhões em 2014.

O resultado anual inclui ajustes contábeis não recorrentes, que na Vale referem-se a impairment de ativos e investimentos e perdas com variações monetárias e cambiais, entre outros, totalizando R$ 37,5 bilhões, impactando negativamente em R$ 2,06 bilhões o resultado de equivalência patrimonial na Bradespar. Com a exclusão desses ajustes contábeis não recorrentes, a companhia apresentou prejuízo ajustado de R$ 527,9 milhões.

No acumulado do ano de 2015, o prejuízo foi de R$ 2,59 bilhões

No acumulado do ano de 2015, o prejuízo foi de R$ 2,59 bilhões

Como companhia de investimentos, a Bradespar tem sua receita operacional originada do resultado de equivalência patrimonial, dividendos e juros sobre o capital próprio recebidos da Valepar/Vale, juros das ações resgatáveis recebidos da Valepar e dividendos e juros sobre o capital próprio recebidos da CPFL Energia.

Somente no quarto trimestre de 2015, a receita operacional ficou negativa em R$ 1,943 bilhão, um aumento de 541% contra o número também negativo de R$ 302,953 milhões no quarto trimestre de 2015. No acumulado do ano de 2015, a receita operacional ficou negativa em R$ 2,448 bilhões, contra uma receita positiva de R$ 73,952 milhões em 2014. O impacto veio basicamente, segundo a empresa, da equivalência patrimonial negativa da Vale.

De outubro a dezembro do ano passado, as despesas com pessoal caíram 22,8% contra igual intervalo de 2014, para R$ 1,010 milhão, enquanto as gerais e administrativas tiveram baixa de 17,6%, para R$ 1,032 milhão, e as tributárias recuaram 78,9%, para R$ 3,304 milhões.

No acumulado do ano de 2015 ante 2014, as despesas com pessoal reduziram 12,4%, para R$ 3,691 milhões, enquanto as gerais e administrativas subiram 50,7%, para R$ 4,885 milhões. As despesas tributárias tiveram baixa de 47,9%, para R$ 19,550 milhões. 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX