1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Rio Tinto tem prejuízo líquido de US$ 866 milhões em 2015 e corta investimentos

- Atualizado: 11 Fevereiro 2016 | 12h 40

Pesaram no resultado baixas contábeis de US$ 1,8 bilhão referentes a um projeto de minério de ferro na África e a ativos de urânio, além de US$ 3,3 bilhões em perdas cambiais e com derivativos

Mineradora revisou os planos de investimento para 2016 e 2017

Mineradora revisou os planos de investimento para 2016 e 2017

SYDNEY - A Rio Tinto divulgou um prejuízo líquido de US$ 866 milhões em 2015, revertendo o lucro de US$ 6,53 bilhões obtido no ano anterior. Pesaram no resultado baixas contábeis de US$ 1,8 bilhão referentes a um projeto de minério de ferro na África e a ativos de urânio, além de US$ 3,3 bilhões em perdas cambiais e com derivativos.

Excluindo-se despesas extraordinárias, a mineradora anglo-australiana apresentou lucro subjacente de US$ 4,54 bilhões no ano passado, 51% menor que o de 2014. O número ficou um pouco abaixo da mediana de US$ 4,66 bilhões prevista por sete analistas consultados pelo Wall Street Journal.

Diante de seu fraco desempenho e da tendência de queda nos preços das commodities, a Rio Tinto anunciou que revisou seus planos de investimentos de capital para este ano, de cerca de US$ 5 bilhões para US$ 4 bilhões, e também para 2017, de US$ 7 bilhões para algo em torno de US$ 5 bilhões. Em 2018, a mineradora prevê investir cerca de US$ 5,5 bilhões.

A Rio Tinto também informou que irá distribuir dividendo anual de US$ 2,15 por ação, em linha com o pagamento de 2014. De agora em diante, porém, a empresa passará a levar em consideração seus lucros, a perspectiva das principais commodities e a saúde de seu balanço financeiro antes de definir dividendos futuros.

Um pouco antes da publicação do resultado anual, as ações da Rio Tinto encerraram o pregão desta quinta-feira na bolsa australiana, em Sydney, com queda de 1,3%. 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX