Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

Superintendência do Cade recomenda 'remédios' para compra do Citi pelo Itaú

Para concluir transação que envolve a operação de varejo do banco americano, Itaú pode ter de assinar acordo para evitar concentração bancária

Reuters

12 Julho 2017 | 09h45

A superintendência-geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) recomendou ao tribunal da autarquia a aprovação da aquisição das operações de varejo do Citibank pelo Itaú Unibanco mediante assinatura de um acordo em controle de concentrações, segundo despacho publicado no Diário Oficial desta quarta-feira, 12.

+ Itaú compra varejo do Citi por R$ 710 milhões

O colegiado destaca que os remédios desenhados junto com as requerentes abordam cinco aspectos: comunicação e transparência, treinamentos, indicadores de qualidade, compliance e restrição à aquisição de instituições financeiras e administradoras de consórcios, conforme parecer no site do Cade.

Para a superintendência-geral do órgão antitruste, o acordo em controle de concentrações "é suficiente para eliminar eventuais preocupações concorrenciais" decorrentes da compra do varejo do Citibank pelo Itaú Unibanco. O documento ressalta, contudo, que a celebração deste acordo não exime as partes de cumprir qualquer decisão do Cade no futuro.

Mais conteúdo sobre:
Cade Citibank Itaú

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.