Divulgação
Divulgação

'Vim preparar troca por um brasileiro', diz atual presidente do Santander

Jesús Zabalza será substituído por Sergio Rial em 2016; conselho do Santander já aprovou a mudança

Beth Moreira, Aline Bronzati e Silvia Araujo, O Estado de S. Paulo

09 Setembro 2015 | 10h34

SÃO PAULO - A troca na presidência do Santander Brasil por um brasileiro já estava prevista, de acordo com Jesús Zabalza, presidente do banco. O executivo destaca, em nota à imprensa, que veio para o Brasil com a missão de preparar o terreno para um talento local.

"Vim ao Brasil com um plano claro para transformar a forma de fazer negócios do banco, colocar os clientes e os funcionários realmente no centro de tudo,  construir as bases para o crescimento sustentável e preparar minha substituição por um executivo brasileiro", afirma Zabalza.

Ele será substituído na presidência do Santander Brasil por Sergio Agapito Lires Rial, que veio da Marfrig, a partir de 1º de janeiro de 2016. Zabalza, que deixará o comando do banco após menos de três anos nesta posição, passará, então, para o conselho de administração como vice-presidente.

A mudança na troca do comando do Santander no Brasil foi aprovada na manhã desta quarta-feira pelo conselho de administração do banco. "Rial é um dos grandes executivos que conheci. Além do excelente trabalho na presidência do conselho, acompanhou e participou, nesse período, de todas as operações do banco. Hoje, conhece muito bem nossa empresa, seus desafios, nossos pontos fortes e os pontos que temos de continuar avançando", acrescenta Zabalza.

Também em nota, Rial diz que assumir a presidência do Santander Brasil é "uma honra e um desafio". "Somos o maior banco internacional no Brasil, temos capital, tecnologia e profissionais capacitados", destaca ele.

Sucessão. Rial será o quarto presidente do Santander desde que a instituição espanhola comprou o ABN Amro Real, em outubro de 2007. Antes, o banco era comandado por Fabio Barbosa, oriundo do banco Real, hoje no conselho de administração do Itaú Unibanco. Depois de dois espanhóis no comando, voltar a ter um brasileiro como principal executivo da operação é um passo que sempre foi tido pelo mercado como fundamental para que a instituição de fato decolasse no País.

No Brasil, o Santander encerrou junho com mais de R$ 600 bilhões em ativos totais e patrimônio líquido de R$ 56,7 bilhões. O banco soma 2.255 agências, 31.798 clientes e mais de 50 mil colaboradores. 

Mais conteúdo sobre:
Santander gestão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.