Marketing multinível é opção de negócio para empreendedores, defende especialista

Este conteúdo é uma comunicação empresarial

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

16 Dezembro 2016 | 17h53

São Paulo--(DINO - 16 dez, 2016) - De acordo com uma pesquisa patrocinada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) no Brasil, o número de empreendedores no país não deixa de crescer, mesmo diante da crise financeira. De acordo com o estudo, a taxa de empreendedorismo no Brasil foi de 39,3% no ano passado, considerado o maior índice dos últimos 14 anos - quase o dobro do número registrado em 2002, quando era de 20,9%. Em contrapartida, Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que 12 milhões de brasileiros estão fora do mercado de trabalho.

Apesar de o número de empreendedores aumentar no Brasil, o país ainda é bastante focado em uma educação que prepara as pessoas para serem empregadas, fazendo com que a maioria dos brasileiros tenham dificuldade de investir em uma atividade mais flexível, como o marketing multinível, que gera resultados rápidos com a venda de produtos de qualidade e oferece aos empreendedores flexibilidade de horário, além de permitir o ingresso nesse ramo de negócio com baixo investimento.

O marketing multinível está inserido dentro do gênero "venda direta", sistema de comercialização de bens de consumo e serviços baseado no contato pessoal entre vendedores e compradores, fora de um estabelecimento comercial fixo. No entanto, o multinível permite que uma pessoa se associe a outras para aumentar suas vendas, ou seja, o empreendedor pode criar uma rede de vários vendedores. Dados da Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD) mostram que, no ano passado, o número de revendedores passou de 4,4 milhões para 4,6 milhões.

Com o marketing multinível, as organizações ganham dinheiro vendendo produtos e são reconhecidas pelo mercado. Avon, Natura e Jequiti são exemplos de empresas que utilizam o multinível. Informações do Sebrae Minas apontam que mais da metade das pessoas que aderem a uma organização que utiliza esse modelo de negócio não tem outra fonte de renda, se não aquela adquirida através do multinível. Esse setor acabou se tornando uma boa alternativa para quem foi atingido pela recessão.

O especialista em Marketing Multinível Rodrigo Nunes começou a empreender nesse modelo de negócio após encerrar uma carreira de mais de 10 anos no mundo corporativo. Apesar de anteriormente ter conquistado grandes quantias em dinheiro, Nunes não tinha liberdade no trabalho, algo que sempre desejou na vida. Hoje ele acredita que o multinível lhe proporcionou a liberdade que tanto almejava, valorização de suas ideias e melhor qualidade de vida. Além dos bens que possui, o especialista consegue viajar mais dentro e fora do Brasil, seja para tratar de negócios ou apenas por lazer. Desde 2013, Nunes adquire cada dia mais experiência no ramo e aposta nesse setor "como a melhor opção de empreender no momento", inclusive aponta o multinível como sugestão para quem deseja alavancar negócios em 2017.

As pessoas que se interessam em aderir ao marketing multinível precisam tomar cuidado para não se associarem a empresas que distorcem esse modelo de negócio, pois somente no início deste ano (2016) o Ministério Público de São Paulo recebeu dezenas de denúncias sobre esquemas de pirâmides. O foco desses esquemas é a adesão de um número cada vez maior de pessoas, e normalmente elas precisam fazer um investimento grande para entrar nesse negócio.

O especialista, tem um perfil na internet onde aborda diversos assuntos relacionados ao marketing multinível. Acesse: www.rodrigonunes.blog.br, conheça mais sobre o setor e fique por dentro das novidades e informações que ele compartilha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.