Tecnologia contribui para fim do crime organizado que controla a venda de gás de cozinha no Estado do Rio de Janeiro

Rio de janeiro--( DINO - 20 fev, 2017) - Revendedores e consumidores de Gás de cozinha, que vendem gás e moram dentro das áreas consideradas "de risco", hoje controladas pela Milícia ou pelo Tráfico de Drogas, que antes, estavam restritos a comprar seus botijões de gás nas mãos de revendedores que cobram muito mais caro, por ter que destinar uma parte do lucro a uma dessas máfias, estão, aos poucos tendo a ajuda da tecnologia para poderem se livrar desse mercado paralelo.

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

20 Fevereiro 2017 | 11h28

Não é nenhuma novidade que em algumas regiões do Estado do Rio de Janeiro a Milícia ou o Tráfico de Drogas comandam a venda de gás de cozinha, o assunto foi mostrado no filme Tropa de Elite II e em várias reportagens da mídia.

Os maiores prejudicados com isso são os consumidores, que são obrigados a pagar mais caro, pela falta de segurança pública no Estado, e também os revendedores de gás que atuam nessas áreas, já que são obrigados a pagar uma "Taxa" para essa máfia, diminuindo seu lucro e, consequentemente, roubando sua força de trabalho.

Em casos mais extremos, o revendedor pode sofrer represálias de crimes, caso não concorde com essa política ou se recuse a entregar seu depósito pelo preço que eles querem pagar. E imaginemos tudo isso, no mercado do gás de cozinha, se houver uma greve da polícia militar?

Esse controle prejudica a entrega de diversos serviços básicos à sociedade, dentre eles a entrega de gás e a população acaba pagando muito mais caro pelo preço do gás de cozinha. E revendedores de gás de cozinha são obrigados a seguir o preço estipulado, e na maioria das vezes, pagar um "imposto" para a Milícia deixar eles trabalharem, além dos altos impostos e custos para se manter uma empresa legalizada aqui no Brasil.

O Governo do Estado do Rio de Janeiro precisa promover mudanças que serão necessárias nesse cenário, como solução para esse tipo de situação a tecnologia está ajudando os consumidores e revendedores de gás e virando um facilitador desse comércio. Graças à internet essa situação pode estar com os dias contatos. Estão surgindo várias empresas inovadoras, sobretudo de tecnologia, que estão, direta ou indiretamente, trazendo soluções para várias questões de mercado. Uma delas, voltada à venda de gás de cozinha pela internet, é a Preço do Gás ( www.precodogas.com.br).

É uma empresa de tecnologia, que disponibiliza uma plataforma na internet para unir os consumidores de gás de cozinha de botijão (GLP), com os revendedores de gás GLP.

De acordo com um Porta Voz da empresa Preço do Gás, muitos revendedores já estão conseguindo colocar seus preços de acordo com suas necessidades e os consumidores já podem escolher seus revendedores de gás, não ficando assim nas mãos de Milicianos e Traficantes, já que somente revendedores legalizados e autorizados pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) podem ser parceiros e vender seu gás pelo site.

A Empresa informa ainda que os preços praticados em seu site ( www.precodogas.com.br) são de responsabilidade exclusiva dos revendedores, tanto que o consumidor paga diretamente ao entregador no momento da compra, não tendo a Preço do Gás qualquer ingerência sobre os mesmo, mas que vem observando que, do início de suas operações até hoje, tem sido cada vez mais comum que revendedores de uma mesma região tenham preços diferentes, assim mudando o que acontece com a crime organizado, que ditam o preço do gás para cima, e ainda cobram um "imposto" do revendedor.

Nossa reportagem testou o site da Preço do Gás. Colocamos alguns CEP"s de dentro do Estado do Rio de Janeiro e verificamos que realmente há uma variação de preços entre os revendedores, beneficiando diretamente os consumidores de gás de cozinha.

A Preço do Gás nos informou que em algumas regiões essa variação pode significar um desconto de 23% sobre os valores.

Entretanto, ainda é comum que alguns revendedores rejeitem algumas entregas alegando áreas de risco ou áreas de Milicianos, já que em algumas regiões não se pode entrar com o carro do gás. "Afirma, Claudio, o porta voz da empresa Preço do Gás"

Em contato com revendedores parceiros da Preço do Gás, os mesmos relatam essa ocorrência em torno de 6 a 8% de suas entregas, dizendo que não chega a atrapalhar o negócio, já que isso também ocorre pelos meios antigos pelos quais recebiam e ainda recebem seus pedidos, sendo que de outra forma houve um considerável aumento em suas vendas, já que recebem pedidos de outras áreas e de novos consumidores, que preferem a internet do que o uso do telefone, antes não consideradas por eles. Até relataram uma solução paliativa encontrada por alguns consumidores, que é comprar o gás de cozinha pela internet e pedir para entregar em outro endereço, de amigos ou familiares, fora da área de risco, mas assim podendo aproveitar a economia, que pode chegar a R$15,00 por botijão.

Com a nova solução tecnológica da Preço do Gás a forma de comprar gás de cozinha está mudando, dando total liberdade de consumidores comprarem onde desejar. Com isso a venda de gás de cozinha por telefone, o famoso Disk Gás também pode estar com os dias contados. Só saberemos com o passar do tempo, mas já temos uma noção de que, assim como o Uber, o i-Food e outros sites de tecnologia, a Preço do Gás chegou para mudar para melhor o mercado e sua forma de consumo.

Website: https://www.precodogas.com.br/

Mais conteúdo sobre:
Releases

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.