Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Caixa antecipa saque do FGTS para quem nasceu em dezembro

Trabalhadores poderão retirar recursos até o próximo dia 31; nesta etapa, 2,5 milhões de brasileiros terão acesso a mais de R$ 3,5 bilhões

Idiana Tomazelli, O Estado de S.Paulo

03 Julho 2017 | 09h26

BRASÍLIA - Os trabalhadores nascidos em dezembro, que ficaram por último na fila do saque das contas inativas do FGTS, poderão resgatar os recursos antes do previsto. A Caixa Econômica Federal antecipou novamente o cronograma e vai abrir as agências no próximo sábado, dia 8, para pagar os beneficiários.

Mais de 2,5 milhões de brasileiros têm direito ao saque a partir deste mês, segundo o calendário previsto pela Caixa. A estimativa é de que os saques nesta fase ultrapassem R$ 3,5 bilhões.

Quem já tinha direito ao resgate em meses anteriores, mas ainda não efetuou o saque também precisa se agilizar. O prazo final para solicitar o dinheiro é 31 de julho. O presidente da Caixa, Gilberto Occhi, já advertiu em outras ocasiões que não há possibilidade de prorrogação.

Inicialmente, a previsão era liberar o último lote no dia 14 de julho, mas nos últimos meses a Caixa já vinha antecipando o início dos resgates. Cerca de 2 mil agências do banco abrirão no próximo sábado das 9h às 15h para atender aos trabalhadores. O atendimento será exclusivo para o saque das contas inativas. Já na segunda-feira, dia 10, as agências da Caixa abrirão duas horas mais cedo.

Em geral, o trabalhador só pode sacar os recursos de suas contas do FGTS quando é demitido sem justa causa, ao se aposentar, quando estiver há três anos sem emprego com carteira assinada, ou quando usa o dinheiro para financiar a casa própria. A medida, proposta pelo governo do presidente Michel Temer como uma agenda positiva, permitiu que beneficiários que pediram demissão ou que foram dispensados com justa causa até dezembro de 2015 pudessem sacar os valores que continuavam depositados.

Veja quem tem direito a sacar os recursos do FGTS

Até 28 de junho, a Caixa já havia registrado o pagamento de mais de R$ 38,2 bilhões, equivalente a 95,38% do total previsto. O número de trabalhadores nascidos até novembro e que já haviam sacado até esse dia alcançou 22,6 milhões (81% do total).

Abono. O governo divulgou o cronograma de pagamento do abono salarial referente ao ano de 2016. O benefício é pago anualmente aos trabalhadores inscritos no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos e que têm rendimento médio mensal de até dois salários mínimos. Recebe o abono quem trabalhou formalmente por pelo menos 30 dias no ano passado, e o valor pago varia de R$ 79 a R$ 937, sendo proporcional ao tempo de serviço, assim como é o 13º.

O pagamento do abono começa em 27 de julho, e a estimativa é de que 24,12 milhões de trabalhadores receberão o benefício, segundo o Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalho (Codefat). Correntistas da Caixa recebem o crédito em conta dois dias antes.

Quem nasceu entre julho e dezembro recebe o benefício ainda neste ano, e os nascidos entre janeiro a junho, no primeiro trimestre de 2018. Em qualquer situação, o recurso fica à disposição do trabalhador até 29 de junho do ano que vem, prazo final para o recebimento.

O Ministério do Trabalho estima que R$ 16,5 bilhões serão destinados ao pagamento do abono salarial. O custo anual elevado da medida é uma razão por trás dos estudos da equipe econômica para acabar com o benefício.

Como mostrou o Estadão/Broadcast na semana passada, o fim do abono seria uma alternativa para o governo cortar despesas e garantir o cumprimento do teto de gastos e a volta de superávits primários nas contas públicas caso a votação da reforma da Previdência naufrague no Congresso Nacional.

Mais conteúdo sobre:
FGTS Caixa Econômica Federal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.