ALEX SILVA/ESTADÃO
ALEX SILVA/ESTADÃO

Comércio prevê aumento de até 10% nas contratações de temporários no fim de ano

Para presidente da Associação Comercial de São Paulo, melhora na economia e nova legislação trabalhista animam o setor

André Ítalo Rocha, O Estado de S.Paulo

19 Outubro 2017 | 10h44

Confiante na recuperação da economia e de olho nas novas normas trabalhistas, o comércio da capital paulista prevê um aumento de 5% a 10% na criação de vagas temporárias no fim deste ano em relação a igual período do ano passado. A estimativa é da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

Na opinião do presidente da ACSP, Alencar Burti, a expectativa de crescimento do emprego temporário deve-se principalmente à "melhora da economia, que já saiu da recessão", e "à reforma trabalhista", que criou novas modalidades de contratação.

+ GPA volta a crescer mais que Carrefour ao transformar hipermercado em 'atacarejo'

"Além do temporário, há o trabalho intermitente e por tempo parcial. Houve também a regulamentação do home office e da terceirização, o que também ajuda", afirma Burti.

+ INFOGRÁFICO: Confira o que muda em sua vida com a reforma trabalhista

No entanto, o fato de a reforma trabalhista só entrar em vigor em novembro deve ser um limitador, disse o executivo. Além disso, por ser uma legislação nova, pode causar receio nos empregadores, acrescentou.

"Os resultados reais serão sentidos mais fortemente conforme a reforma se consolide", espera o presidente da ACSP. 

 

Mais conteúdo sobre:
comércio Varejo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.