Pixabay
Pixabay

Passagens aéreas são mais baratas na segunda e mais caras no domingo, aponta pesquisa

Segundo levantamento da agência ViajaNet, a diferença de preço pode variar em cerca de 25% dependendo do dia escolhido para o embarque

O Estado de S.Paulo

11 Abril 2018 | 19h56

O preço de passagens aéreas pode variar em cerca de 25% de acordo com o dia da semana escolhido para viajar. De acordo com o levantamento da agência de viagem virtual ViajaNet, a segunda-feira tem o bilhete mais barato em trechos nacionais, enquanto que o domingo possui o tíquete mais caro. Para viagens internacionais, o voo mais barato sai às terças-feiras.

+ Valores e regras de contratos lideram reclamações dos usuários de transporte aéreo

No ano, o preço das passagens aéreas caiu 19,28%, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados na última terça-feira.  

Viajar na segunda-feira pode ser 15% mais barato em média em relação ao resto da semana ainda. Apesar de ser o dia mais barato, não é o preferido. O melhor dia mais escolhido é às quintas-feiras, com 16% do total de compras. 

+ Polícia alemã impede decolagem de voo por embriaguez do copiloto

O pior dia para viajar tanto pela preferência quanto pelo preço é o domingo, com 11% do total de compras e bilhetes 25% mais caros em relação à segunda, por exemplo. 

Em relação aos voos internacionais com saída do Brasil, o valor médio do embarque às terças-feiras é cerca de 10% menor em relação aos preços do sábado, apontado como o mais caro da semana. Nos demais dias, quase não há variação na tarifa.

Para embarques internacionais, o dia preferido dos brasileiros é aos sábados, com 21% das viagens. Já a menor procura para viagens ao exterior também ficou com o domingo, com apenas 9%. 

Para fazer o levantamento, o ViajaNet considerou a média de preços e o volume de passagens aéreas compradas para embarques nacionais e internacionais entre os dias 1º e 15 de março deste ano.

Mais conteúdo sobre:
aviação aeroporto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.