Economia & Negócios

economia

Davos Urgente

Encontro anual reúne líderes mundiais na Suíça para participar do Fórum Econômico Mundial, uma fundação sem fins lucrativos criada em 1971, com sede em Genebra

Todos os anos, no fim de janeiro, os principais líderes mundiais viajam para a cidade de Davos, nos Alpes suíços, para participar do Fórum Econômico Mundial, uma fundação sem fins lucrativos criada em 1971, com sede em Genebra.  

 

Davos tem um objetivo ambicioso: moldar a agenda futura da globalização. "Esse é o evento mais completo do mundo", defendeu o fundador do Fórum, Klaus Schwab, reforçando a ideia de interdependência e multilateralismo.

 

O evento será o palco da estreia internacional do presidente Jair Bolsonaro. Abertura comercial, reforma da Previdência e combate à corrupção estarão no centro do discurso do brasileiro em Davos 2019.

 

A comitiva vai contar com os ministros da Economia, Paulo Guedes; da Justiça, Sérgio Moro; e o chanceler Ernesto Araújo. A lista ainda inclui o filho do presidente, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, o governador de São Paulo, João Doria, e o apresentador de TV Luciano Huck.

 

Acompanhe aqui tudo o que acontece no evento. 

ACOMPANHE AO VIVO

Atualizar
  • 05h55

    25/01/2019

    Bom dia!

     

    Em Davos, onde participou pela primeira vez do Fórum Econômico Mundial, nos Alpes suíços, Luciano Huck disse ao Estado que o momento é de diálogo e apoio das agendas positivas do governo de Jair Bolsonaro. O apresentador e empresário afirmou que o discurso econômico do ministro da Economia, Paulo Guedes, foi muito bem-recebido no evento, que anualmente mescla a elite financeira internacional, chefes de Estado, presidentes de grandes empresas e celebridades mundiais. 

     

    “Agora, precisamos ver a capacidade de entrega”, afirmou ele, que depois de três dias participando de vários debates no Fórum disse que o ponto forte de Davos é a troca de ideias. Ele mesmo teve uma conversa com o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, com que trocou críticas nos últimos tempos pelas redes sociais. Leia aqui a reportagem completa.

     

    Foto: Jamil Chade/ Estadão

    Jamil Chade/ Estadão

  • 20h43

    24/01/2019

    Encerramos aqui a cobertura do Fórum Econômico Mundial de Davos.

     

    Agradecemos pela audiência. Boa noite! 

  • 20h23

    24/01/2019

    Em Davos, Bono é questionado sobre Bolsonaro e diz: 'É melhor nem começar'

     

    Saiba mais

  • 17h15

    24/01/2019

    O secretário-geral das Nações Unidas, o português António Guterres, defendeu o multilateralismo como a forma de ação mais eficiente para resolver os desafios globais. Respostas fragmentadas, as mais comuns, são insuficientes para problemas cada vez mais integrados, afirmou. Problemas econômicos, como tensões comerciais e insegurança financeira, são inter-relacionados, mas normalmente se tenta enfrentá-los com ações isoladas e sem coordenação. 

     

    Leia a reportagem completa.

     

    (Foto: Fabrice Coffrini/AFP)

     

     Foto: Fabrice Coffrini/AFP

  • 14h56

    24/01/2019

    O Carlyle é um dos maiores fundos de private equity do mundo, com US$ 212 bilhões sob gestão. Também participaram do painel Brian Moynihan, presidente do Bank of America Merril Lynch, Kenneth Rogoff, professor de Harvard e prêmio Nobel de Economia, além de Stacey Cunningham, presidente da Nyse

     

    (Equipe) 

  • 14h56

    24/01/2019

    O debate também girou em torno dos "tímidos" investimentos americanos nos mercados emergentes, sendo que, na China, ainda têm sido mais presentes.

     

    Mas ao ser questionado sobre a América Latina, Rubenstein pontuou que os investidores americanos estiveram muito cautelosos com a região recentemente, pela instabilidade das últimas décadas. De acordo com ele, "quando tudo parecia bem", os americanos colocaram dinheiro nos países, mas "as coisas se deterioravam rapidamente", o que gerou a cautela verificada até agora

     

    (Equipe) 

  • 14h55

    24/01/2019

    O Brasil foi citado como um possível destino de investimentos durante o painel "American Economic Power", realizado há pouco em Davos, no Fórum Econômico Mundial. Segundo David Rubenstein, co-fundador e co-chairman do Carlyle Group, há boas oportunidades na América Latina e o Brasil é um dos que as oferece, devido aos baixos investimentos realizados nos últimos anos. Ele também citou, ainda que de forma mais sucinta, a Colômbia como outro país com boas oportunidades. "Espero que meus concorrentes não ouçam", brincou o executivo

     

    (Equipe) 

  • 14h38

    24/01/2019

    Nesta quarta-feira, 23, Bolsonaro e Duque estavam juntos quando anunciaram apoio a Juan Guaidó como presidente encarregado da Venezuela. Duque já havia defendido recentemente que a Venezuela fosse "cercada diplomaticamente"

     

    (Gregory Prudenciano) 

  • 14h38

    24/01/2019

    O presidente da Colômbia, Iván Duque, postou em seu Twitter uma foto na qual conversa com o presidente Jair Bolsonaro (PSL). Duque menciona "uma reunião produtiva com o presidente do Brasil" e diz que os dois países estão "fortalecendo as relações comerciais, de segurança e de luta contra a corrupção". O presidente colombiano ainda agradeceu o apoio de Bolsonaro em relação ao atentado terrorista ocorrido semana passada em Bogotá

     

    (Gregory Prudenciano) 

     

     

  • 14h14

    24/01/2019

    Em maratona, Guedes apresenta Brasil e fica extenuado na estreia como ministro em Davos.

     

    Saiba mais

  • 13h55

    24/01/2019

    O presidente da África do Sul, Cryril Ramaphosa, disse que espera que o Brics, o grupo que reúne o Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, continue na defesa dos valores, igualdade e direitos humanos.

     

    Ramaphosa se reuniu com Bolsonaro em Davos, onde o Fórum Econômico Mundial é realizado, e deu essa resposta ao ser questionado sobre o fato de o presidente brasileiro ter feito comentários supostamente racistas.

     

    Ramaphosa disse que não está preocupado com a direção do Brics agora que o Brasil assumirá a presidência do grupo e sediará uma cúpula este ano. "O Brics é uma instituição. Presidentes vem e vão, mas o Brics continua porque é uma associação de países, de pessoas de 5 países", afirmou.

     

    Foto: EFE/ Jean-christophe Bott

    EFE/ Jean-christophe Bott

  • 13h30

    24/01/2019

    A Bolsa de Valores superou os 97 mil pontos nesta quinta-feira, com os investidores otimistas com as declarações recentes do ministro da Economia, Paulo Guedes.


    Acompanhe a cobertura do mercado financeiro:

     

    (Foto: Werther Santana/ Estadão)

    Werther Santana/ Estadão

  • 13h02

    24/01/2019

    Bolsonaro e Guedes iniciam retorno ao Brail

     

    O presidente Jair Bolsonaro já deixou o hotel onde estava hospedado em Davos, na Suíça, para o Fórum Econômico Mundial, e retorna ao Brasil. O ministro da Economia, Paulo Guedes, também voltou na comitiva do presidente. 

     

    Apesar da grande expectativa, Bolsonaro e Guedes não deram nenhuma entrevista coletiva à imprensa. Eles tinham um compromisso marcado ontem, mas cancelaram.

    (Adriana Fernandes, enviada especial)

  • 12h39

    24/01/2019

    O ministro da Justiça, Sérgio Moro, afirmou em evento no Fórum Econômico Mundial, em Davos, nesta quinta-feira, 24, que crime organizado e violência estão ligados à corrupção. Segundo ele, prioridade é combater a grande corrupção no Brasil.

     

    Foto: Estadão

    Foto: Estadão

  • 12h02

    24/01/2019

    "Se não for simultâneo, fica estranho", diz Guedes sobre Previdência dos militares

     

    Por causa de uma questão técnica, a inclusão de militares na reforma da Previdência terá de ser feita de por meio de um outro instrumento, mas será simultânea às mudanças gerais que o governo pretende entregar logo no início do ano Legislativo. Essas sinalizações foram dadas quinta-feira, 24, pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, ao sair de um almoço com investidores em Davos, em evento paralelo a Fórum Econômico Mundial. Leia mais:

     

    Crédito: Alan Santos/PR

    Alan Santos/PR

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.