Economia & Negócios

economia

Acompanhe a greve geral pelo País

Protestos convocados por centrais sindicais contestam as reformas trabalhista, previdenciária e a lei que amplia a terceirização no País.

O 'Estadão' acompanha nas ruas a greve geral marcada para esta sexta-feira, 28. Foi afetado pela paralisação? Fotografou ou filmou um fato e quer compartilhar? Envie por WhatsApp pelo número (11) 9-7069-8639 ou baixe o aplicativo 'Você no Estadão' para participar da cobertura jornalística. Com ele, você envia vídeos e fotos. Sua colaboração pode ir parar nas páginas do jornal, no portal e nos aplicativos de notícias. O app está disponível para IOSAndroid.

ACOMPANHE AO VIVO

Atualizar
  • 08h36

    24/10/2017

    O juiz federal Sérgio Moro é um dos primeiros participantes a chegar para o Fórum Mãos Limpas e Lava Jato, que começa daqui a pouco aqui na sede do Estadão.

    Foto: Felipe Rau/Estadão

    Felipe Rau/Estadão

  • 22h35

    28/04/2017

    Encerramos a transmissão ao vivo deste dia de greve nacional. Agradecemos pela sua audiência, e informamos que nosso portal você pode ler todas as notícias sobre a paralisação (clique aqui). Um balanço completo sobre as manifestações e o seu impacto nos projetos de reforma da Previdência e trabalhista proposta pelo governo de Michel Temer também estará na edição deste sábado do nosso jornal. À todos uma boa noite, e até a próxima! 

  • 22h28

    28/04/2017

    A greve geral convocada para esta sexta-feira, 28, pelas centrais sindicais, para protestar principalmente contra os projetos de reforma trabalhista e da Previdência, afetou a rotina de cidades em todos os Estados. Com a adesão dos trabalhadores do setor de transportes, as ruas, principalmente das grandes cidades, ficaram vazias. Em São Paulo, os índices de congestionamento ficaram bem abaixo da média.

    As avaliações sobre o movimento eram divergentes. Mas, para boa parte dos analistas, o impacto na aprovação das reformas em tramitação no Congresso não deve ser muito forte.

    O governo fez questão de afirmar, desde o início do dia, que a greve tinha adesão menor do que a esperada. As centrais sindicais, porém, asseguram que essa foi a maior greve já registrada no País. Leia mais

  • 22h20

    28/04/2017

    SÃO PAULO - Termina a manifestação na zona oeste de São Paulo. Depois do confronto entre a PM e os manifestantes, o Largo da Batata parece uma praça de guerra. O saldo é muito lixo espalhado pelas ruas, vidros de agências bancárias e pontos de ônibus totalmente quebrados, e vários muros pichados. (Douglas Gavras e Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo) 

    Estadão

    Estadão

    Estadão

    Estadão

    Estadão

  • 21h55

    28/04/2017

    SÃO PAULO - Depois de serem expulsos dos arredores da casa do presidente Michel Temer, os manifestantes continuaram em confronto com a PM até o Largo da Batata, onde atearam fogo em diversos pontos da praça. A Tropa de Choque chegou com 4 caminhões para dispersar a multidão. A estação Faria Lima, próxima do local, estava fechada, e os manifestantes tentaram fugir para a estação Pinheiros. Eles estão sendo perseguidos pelos policiais, que soltam bombas de gás lacrimogêneo. (Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo)

     

  • 21h25

    28/04/2017

    SÃO PAULO - A greve geral e as manifestações alteraram a agenda de viagem dos paulistanos. No início da noite desta sexta-feira, 28, as principais estradas de São Paulo apresentam tráfego abaixo do normal para final de semana e para feriado prolongado. Leia mais

  • 21h18

    28/04/2017

    SÃO PAULO - A CET informa que um grupo de manifestantes voltou a ocupar a Avenida Paulista, sentido Paraíso, junto à rua Pamplona

  • 21h07

    28/04/2017

    RIO - A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-RJ) criticou a “violenta ação da Polícia Militar contra milhares de manifestantes”, que participavam de ato no fim da tarde desta sexta-feira, 28, na Cinelândia. “Nada justifica a investida, com bombas e cassetetes, contra uma multidão que protestava de modo pacífico. Se houve excessos por parte de alguns ativistas, a polícia deveria tratar de contê-los na forma da lei. Mas o ataque com métodos de tocaia e a posterior perseguição por vários bairros a pessoas que tão-só exerciam seu direito à manifestação representa grave atentado à Constituição e ao Estado democrático de Direito. O Brasil passou mais de duas décadas sob o jugo do autoritarismo. Não podemos admitir qualquer ensaio de retorno àqueles tempos sombrios”, afirmou o presidente da OAB-RJ, Felipe Santa Cruz, em nota distribuída à imprensa. (Clarissa Thomé, O Estado de S. Paulo)

    Wilton Junior

  • 21h00

    28/04/2017

    SÃO PAULO - A Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo informou, por meio de nota, que 21 pessoas foram levadas para delegacias da capital e Grande São Paulo até o final da tarde desta sexta-feira, 28, em decorrência de protestos. 

  • 20h53

    28/04/2017

    Apesar da paralisação de aeroviários e aeroportuarios no País, apenas 5% dos voos foram cancelados nesta sexta-feira, 28, até às 20h45, em aeroportos da Infraero. Dos 1.301 voos programados, 65 não saíram do chão. Isso se deve, principalmente, porque os aeronautas (pilotos e comissários de bordo) desistiram da greve na quinta-feira. Os voos atrasados, contudo, chegaram a 204, ou 15,7% do total. 

    Os aeroportos com maior número de atrasos e cancelamentos são Congonhas, em São Paulo, e Santos Dumont, no Rio. O primeiro teve 17 voos cancelados e 32 atrasados, e o segundo teve 16 cancelados e 31 atrasados. Leia mais

     

  • 20h45

    28/04/2017

    SÃO PAULO - A CET informa que a Avenida Paulista em ambos os sentidos, e o Largo da Batata junto à Avenida Brigadeiro Faria Lima, estão totalmente liberadas 

  • 20h43

    28/04/2017

    SÃO PAULO - Havia uma festa de casamento ao lado da confusão entre manifestantes e PMs, próximo à casa do presidente Michel Temer (Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo)

    Bruno Ribeiro

  • 20h39

    28/04/2017

    SÃO PAULO - A avenida Fonseca Rodrigues, escura por causa das árvores, facilitou a ação de black blocs, que atearam fogo no meio da rua. Houve confronto na Praça Pero Vaz, próximo à casa de Michel Temer. A rua estava fechada, e a PM atirou com balas de borracha, e lançou canhões d´água para dispersar a multidão. (Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo)

  • 20h33

    28/04/2017

    SÃO PAULO - Em confronto nas imediações da casa do presidente Michel Temer, na zona oeste de São Paulo, manifestantes atiram rojões em direção à Tropa de Choque da Polícia Militar, que revida com jatos de água, bombas de gás lacrimogêneo, e balas de borracha. 

    Alex Silva/Estadão

  • 20h27

    28/04/2017

    SÃO PAULO - Um helicóptero da PM sobrevoa as imediações da casa de Temer. Há barreiras policiais na esquina da avenida Professor Manoel José Chaves, com a praça Panamericana. (Douglas Gavras, O Estado de S. Paulo)

Estadão Blue Studio Express

Conteúdo criado em parceria com pequenas e médias empresas. Saiba mais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.