As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Brasil já contabiliza mais de 50 Leões em Cannes

Fernando Scheller

18 de junho de 2013 | 16h32

Com a divulgação do resultado de mais quatro categorias da premiação do Cannes Lions Festival Internacional de Criatividade, o Brasil já contabiliza mais de 50 Leões na edição 2013. Além dos 25 Leões conquistados na segunda-feira, as agências brasileiras angariaram mais 31 prêmios nesta terça.

A maior parte dos Leões veio em uma categoria em que o Brasil é tradicionalmente forte, a de Outdoor. Foram 16 Leões ao todo, sendo 3 ouros, 2 pratas e 11 bronzes. Segundo o presidente de júri de Outdoor, Tony Granger, a peça da Leo Burnett Tailor Made para o Esporte Clube Vitória – que incentivava a doação de sangue pelos torcedores – chegou a ser considerada para o Grand Prix. No entanto, o grande prêmio acabou nas mãos da IBM, para um outdoor que embutia usos úteis, como a proteção da chuva.

A campanha da Leo Burnett levou o Ouro em Outdoor, assim como uma da AlmapBBDO para a Pedigree e a da Ogilvy para o Sport Club Recife. A Young & Rubicam levou duas pratas para campanhas distintas para a LG. Os bronzes foram para DDB (Masp), Ogilvy (Unilever), Almap (Bauducco, Bayer e Gol),  Young & Rucibam (LG), Ogilvy (BandSports, Miami Ad School e Billboard), Giovanni+DraftFCB (Nivea) e Publicis (Arno).

Em Mobile Lions, uma categoria em que o País ainda não tem muita tradição, o maior prêmio foi a prata para uma campanha da Young & Rubicam para a Peugeot. Os bronzes foram para Africa (Hipoglós), Loducca (duas peças para a escola de idiomas Easy Way), AlmapBBDO (Audi) e DDB (Obra do Berço).

Em Media Lions, a Ogilvy levou o ouro para a campanha da Dove. A Giovanni+DraftFCB e a Africa levaram pratas por campanhas para a Nivea e para a associação Mães da Sé. Os bronzes foram para: Talent (Alpargatas), JWT (Coca-Cola), Loducca (Shopping Villa-Lobos), Ogilvy (duas peças para Dove) e Binder Visão Estratégica (o banco de sangue Hemorio).

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.