As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Brasileiro mostra empresa que criou aos 18 anos

Fernando Scheller

20 de junho de 2017 | 05h00

O brasileiro André Ferraz, de 25 anos, foi destaque de um painel sobre tecnologia do Lions Innovation, evento voltado ao setor de inovação que faz parte do “ecossistema” do Cannes Lions – Festival Internacional de Criatividade. Ferraz mostrou o trabalho da InLoco, companhia que criou no Porto Digital, no Recife, quando tinha 18 anos. A companhia, associada à empresa de informações financeiras Experian, agora se prepara para lançar seu produto em 29 países.

A InLoco apresentou ontem um sistema que permite a definição de estratégias de comunicação – e o envio de mensagens de marketing – com o uso da localização dos consumidores. Com 55 milhões de usuários únicos, a empresa tem sua base de dados alimentada por cerca de 600 aplicativos parceiros. A partir das informações dos usuários dessas ferramentas, a InLoco consegue apresentar dados do comportamento de deslocamento das pessoas.

A companhia já recebeu investimento da sul-africana Naspers e, durante alguns anos, ficou incubada dentro do ecossistema de startups do Buscapé. Ao ampliar sua base de dados e investir mais fortemente em geolocalização, a empresa também formou uma parceria com a Serasa Experian no Brasil para mostrar informações sobre o perfil socioeconômico dos usuários em sua base de dados. Agora, o serviço vai se expandir internacionalmente.

A ideia da InLoco é auxiliar empresas que queiram falar com um público que circule em determinados lugares. A capacidade de análise de dados da companhia pode fornecer o perfil do público que circula em um determinado parque ou shopping, por exemplo. Assim, cada companhia pode adaptar sua mensagem para os clientes que estiverem circulando em um local de seu interesse em um determinado momento.

Para simplificar o entendimento dos clientes em relação ao seu público-alvo, a InLoco definiu 40 perfis socioeconômicos que poderão ser “seguidos” por anúncios, tanto no celular quanto em relógios de rua, por exemplo. Durante sua palestra, Ferraz afirmou que a geolocalização é uma forma de as empresas se comunicarem, usando um meio digital, com seus clientes que estão considerando compras no mundo físico.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: