As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Campanha sobre os 140 anos do ‘Estadão’ estreia na TV

Com dois minutos de duração, filme escrito por Washington Olivetto vai ao ar no intervalo da novela ‘Babilônia’

Economia & Negócios

25 Maio 2015 | 17h05

A campanha institucional que celebra os 140 anos do jornal O Estado de S. Paulo estreia na noite desta terça-feira, na TV Globo, com uma proposta ousada: com dois minutos de duração, o filme escrito por Washington Olivetto e Sérgio Franco para a agência WMcCann foi criado para mostrar a importância do Estadão ao longo da história do Brasil. O jornal, lembra Olivetto, passou por marcos históricos como a Abolição da Escravatura, a ditadura, os planos econômicos e os feitos no futebol. E continua presente no dia a dia dos brasileiros, tanto em meio impresso quanto na internet.

Segundo Olivetto, resumir 140 anos exigiu um grande poder de síntese. O texto do filme lista altos e baixos do País ao longo das últimas 14 décadas, lembrando que, de 1875 para cá, o País teve nove moedas até chegar ao real, duas capitais federais, oito constituições e 37 governantes. Embalado pelo samba – o mais brasileiro dos ritmos –, o comercial tem produção simples e é totalmente baseado em textos. “O filme tem um efeito hipnótico, que prende a plateia até a revelação do anunciante – no caso, o Estadão.”

O chefe da criação da WMcCann diz que o novo filme é o caso de um comercial que nada tem de “genérico”, pois reflete a realidade específica do cliente. “O Estadão é uma das raras empresas no Brasil que têm 140 anos. E faz sentido narrar todos esses fatos da história brasileira, já que o jornal, com sua credibilidade, esteve presente nas derrotas e nas vitórias do País”, explica Olivetto. “Além disso, não existe uma palavra inventada no filme, que é todo baseado em fatos, como deve ser o bom jornalismo.”

A frase “O Brasil precisa saber” foi adicionada ao tradicional slogan “Quer Saber?”, do Estadão. “É um tema muito bom, que coincide com a realidade política, econômica e social atual do País.”

Exibição. A ousadia de apostar em uma formato baseado em textos e em uma duração mais longa também reiteram o compromisso com o conteúdo que está sendo transmitido. “Neste caso, a produção está totalmente a serviço do texto”, explicou Olivetto sobre o filme dirigido por Jarbas Agnelli. A versão de dois minutos do filme será exibido nos intervalos da TV Globo (novela Babilônia) e Band (Jornal da Bandeirantes),  entre outras, ao longo dos próximos dias. Haverá ainda quatro versões de 30 segundos para a peça publicitária, que também será veiculada em mídia impressa e na internet.

O filme sobre os 140 anos do jornal também será enviado para participação no Cannes Lions ­– Festival Internacional de Criatividade, do qual o Estadão é representante oficial no Brasil. Para a inscrição, foi produzida uma versão em inglês, segundo Olivetto. “Enviei o filme em inglês para uma amiga minha e ela me respondeu dizendo que tinha recebido uma pequena aula de história do Brasil”, diz o publicitário.