Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

A saúde do trabalhador do campo em debate

Estadão

24 de fevereiro de 2011 | 08h30

Agricultor poderá fazer exame de sangue durante evento. CRÉDITO: DORIVAL PINHEIRO FILHO/PMJ/DIVULGAÇÃO

Amanhã, Jundiaí (SP) recebe mais uma edição do evento “Saúde no campo”, que conscientiza trabalhadores rurais sobre o uso do EPI (equipamento de proteção individual) e sobre a aplicação correta de agrotóxicos. O projeto é uma parceria das secretarias municipais de Agricultura e de Saúde com a Unicamp, e tem como objetivo identificar eventuais casos de doenças provocadas pela exposição a produtos químicos utilizados no campo. “A proposta maior do projeto é melhorar a qualidade de vida do agricultor e, com isso, mantê-lo no campo”, diz a diretora de Agronegócio da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento, Isabel Harder.

Na ocasião, além de palestras de orientação sobre correta aplicação de agrotóxicos e sobre a importância do uso do EPI – muitos trabalhadores o dispensam alegando ser desconfortável para o uso na lavoura -, os participantes poderão fazer exame de sangue e, no mesmo dia, ter um resultado parcial. Uma equipe de profissionais da Unicamp estará à disposição. As palestras serão apresentadas por pesquisadores do Instituto Agronômico (IAC), de Campinas (SP).

Na edição do evento do ano passado, de 30 agricultores que se submeteram ao exame de sangue, dois trabalhadores foram encaminhados para atendimento específico na Unicamp e monitorados pelo Centro Regional de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest). “O foco do evento é a prevenção e, se houver alterações no exame de algum trabalhador, damos o encaminhamento necessário”, diz Isabel. Segundo ela, o trabalho de prevenção torna-se cada vez mais importante. “Na área de pesquisa da Unicamp há mais de três anos não é registrado um caso sequer de internação por contaminação por agrotóxicos de origem ocupacional. O que costuma acontecer são casos aleatórios, por causa do manuseio errado do produto ou por algum tipo de acidente, mas não por exposição contínua ao agrotóxico.”

Serviço:

2.ª edição do Saúde no Campo

Data: 25 de fevereiro

Horário: das 13h às 15h

Local: Associação Amigos do Traviú (R. Luiz Carbonari, n.º 100, Jundiaí)

Informações: tels. (11) 4589-8872 e 4589-8581 (não é necessário fazer inscrição prévia)

Levar documento de identidade e CPF

Tudo o que sabemos sobre:

agrotóxicosEPIsJundiaíprevençãoUnicamp

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: