Herbicida para época seca de cana é lançado pela DuPont

Estadão

12 de maio de 2011 | 15h05

Reportagem de Brás Henrique, correspondente em Ribeirão Preto (SP)

A DuPont Produtos Agrícolas lançou no mercado o herbicida Front, de última geração, voltado para o uso em época de seca nas lavouras de cana-de-açúcar (cana soca-seca). O produto, desenvolvido desde 2004 e com mais de 200 testes demonstrativos de campo feitos por mais de três anos, controla, com apenas uma aplicação em pré-emergência, as principais ervas daninhas de folhas largas e estreitas, que concorrem com os canaviais no aproveitamento de água e nutrientes do solo. “Os que outros produtos não fazem sozinhos, o nosso faz”, diz o diretor de Marketing da DuPont, Marcelo Okamura. “O produto é seguro, sem riscos, pois ele controla as sementes das ervas daninhas do solo e não é absorvido pela cana.” O herbicida foi desenvolvido para o setor sucroalcooleiro brasileiro, no laboratório da empresa instalado em Paulínia (SP), mas é produzido industrialmente nos Estados Unidos. Um dos ingredientes ativos do produto é brasileiro. O custo de desenvolvimento do Front não foi divulgado, mas a DuPont gasta, mundialmente, US$ 1,4 bilhão/ano em pesquisas em todos os seus negócios. Desse total, 50% são aplicados na agricultura e na nutrição, e os defensivos agrícolas consumem US$ 200 milhões/ano em pesquisas e desenvolvimentos de novos produtos. A aplicação do herbicida deve ocorrer no período de seca (entre maio e setembro na região Centro-Sul e entre setembro e abril no Nordeste), logo após o corte da última safra. Okamura diz que o produto é eficiente contra corda-de-viola, braquiárias, capim-colonião, entre outros. “Nosso custo é competitivo com os dos concorrentes”, acrescenta ele, citando que o produtor de cana deverá aplicar entre 1,3 e 1,7 quilo do herbicida por hectare, dependendo do tipo de solo. A expectativa da DuPont é crescer até 15% no faturamento, no ano, no setor sucroalcooleiro, com o lançamento do Front no mercado. “Queremos retomar a liderança nesse setor em cinco anos”, comenta Okamura. A empresa ainda desenvolve outros produtos para o segmento sucroenergético. A DuPont movimentou US$ 435 milhões nesse setor em 2010, 15% acima de 2009. Agora, a meta é chegar perto dos US$ 500 milhões. No mundo, a empresa movimenta cerca de US$ 2,5 bilhões/ano com defensivos agrícolas.

Tudo o que sabemos sobre:

cana-de-acúcarDu PontFrontherbicida

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.