Lançada campanha para valorizar o agronegócio brasileiro

Estadão

18 de julho de 2011 | 20h16

O lançamento do Movimentou Sou Agro, de valorização do agronegócio brasileiro, feito hoje na Fiesp, marca o amadurecimento de uma ideia surgida há quase 20 anos, disse o ex-ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, ao anunciar a campanha em São Paulo.

Rodrigues, que hoje é presidente do Conselho Superior de Agronegócio da Fiesp, contou que desde a época em que ocupava a presidência da Sociedade Rural Brasileira (SRB), em 1994, já articulava uma iniciativa como essa, de apresentar o agronegócio à sociedade e mostrar como o setor está muito mais presente no cotidiano dos cidadãos urbanos do que se imagina. “A dificuldade de colocar em prática uma ação com essa é, em primeiro lugar, conseguir dinheiro. Para isso, os representantes do setor têm de se mobilizar. Passados tantos anos, a ideia amadureceu e com o fato inédito de contemplar todo o setor. O que havia até agora eram ações de comunicação isoladas, de uma determinada cadeia produtiva.”

Com um aporte de R$ 13 milhões (até agora) e contando com a adesão de nomes como Cargill, Sindirações, ABCZ, Aprosoja, Inpev, Abag, Bunge, Monsanto, OCB, entre outros, o Movimento Sou Agro estreia hoje nos principais meios de comunicação do País. Os filmes publicitários, que mostram a importância da agropecuária e seu vínculo com o dia a dia das pessoas, são estrelados pelos atores Lima Duarte e Giovanna Antonelli. Além das peças para TV, haverá inserções no rádio, internet e em revistas de grande circulação. “O Brasil se urbanizou muito rápido e acabou perdendo a conectividade entre campo e zona urbana. Queremos sensibilizar a sociedade para o agronegócio brasileiro”, disse o presidente da União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica), Marcos Jank.

Segundo Jank, o Movimentou Sou Agro é uma ação paralela à RedeAgro – Rede de Conhecimento do Agro Brasileiro, idealizada pelo Instituto de Estudos do Comércio e Negociações Internacionais (Icone), com apoio do grupo Pensa/FEA-USP, e lançada em junho. Jank explicou que o portal www.souagro.com.br tem foco no público urbano; já o portal www.redeagro.org.br é mais voltado ao setor agropecuário, com informações acadêmicas e trabalhos técnicos. “Ambos os canais, porém, devem se tornar uma boa fonte de notícias sobre o agronegócio brasileiro, sobretudo em relação a temas transversais, como Código Florestal, compra de terra por estrangeiros, segurança alimentar, taxação de commodities…”

As peças publicitárias estão disponíveis no portal www.souagro.com.br.

Siga o Agrícola no Twitter.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.