Lucro com leite de búfala

Estadão

22 de setembro de 2010 | 13h33

A criação de búfalos para a produção de leite está mudando, para melhor, as perpectivas da região de Barra do Turvo, no Vale do Ribeira, uma das regiões mais pobres do Estado.

Graças a um programa de melhoramento da pecuária leiteira, implantado cinco anos atrás pelo Sebrae-SP e que prevê a adoção de técnicas simples como inseminação artificial e rotação de pastagem, a produção de leite na região cresceu 500%, chegando à marca de 450 mil litros produzidos no ano passado. E a projeção para este ano é de crescimento de 15%,  superando o  volume de 500 mil litros produzidos.

Atualmente, a região do Vale possui o maior rebanho de búfalos do Estado, com 22 mil cabeças e com uma demanda cada vez maior, os produtores estão lucrando mais com a venda do leite. Ao passo que em 2006 o litro era vendido a R$ 0,60, hoje os produtores conseguem uma remuneração de R$ 1,07. Além disso, lucram também com a venda de derivados, como queijo frescal, manteiga e iogurte feitos com o leite de búfala. No ano passado, somente os 50 integrantes da Associação dos Pecuaristas e Produtores de Leite (Proleite), com sede em Barra do Turvo, movimentou mais de R$ 1,5 milhão.

Confira no “Agrícola” de hoje a reportagem completa de José Maria Tomazela, que traz ainda a história do produtor que deixou de criar bois para investir em búfalos e fala do programa de inventivo à criação de búfalos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.