Profissão: mateiro

Estadão

21 de outubro de 2010 | 09h00

A profissão de mateiro não é fácil – além da curiosidade inata para conhecer árvores nativas e suas espécies, é preciso ter bom preparo físico e pesquisar muito. Além disso, o trabalho dos coletores de sementes é essencialmente artesanal, o que os torna cada vez mais disputados no mercado de viveiros.

Mês que vem, dois cursos vão mostrar um pouco do trabalho desses profissionais, que, dependendo da experiência na mata, chegam a ensinar o que sabem a biólogos e agrônomos.

Nos dias 27 e 28 de novembro, haverá curso de identificação e coleta de sementes de árvores nativas no Sítio Duas Cachoeiras, em Amparo (SP). O curso terá duração de 30 horas e será coordenado pelo técnico agrícola Emilson Rabelo e pelo produtor agroecológico Guaraci Diniz Jr. Emilson tem vasta experiência na atividade e atualmente é responsável por um viveiro de mudas florestais em Araraquara. Guaraci, além de produtor rural, é educador ambiental.

O curso em Amparo terá abordagem prática: Emilson e Guaraci vão falar sobre como identificar sementes, quais são os períodos ideais para coleta, técnicas de coleta, seleção, armazenamento e quebra de dormência.

A outra iniciativa é da Embrapa Florestas, que realizará o curso “Legislação, coleta e manejo de sementes de espécies florestais”, de 23 a 25 de novembro, em Curitiba e em Colombo, onde fica a sede da unidade. O curso é voltado a engenheiros agrônomos e florestais, biólogos, técnicos, produtores de sementes, viveiristas e estudantes. A carga horária é de 24 horas.

Segundo informa a Embrapa, o curso de três dias incluirá palestras e práticas de laboratório e campo, além de escaladas em árvores para coleta de sementes.

Serviço:
Sítio Duas Cachoeiras, inscrições por e-mail: cursos@sitioduascachoeiras.com.br
Embrapa Florestas, tels. (41) 3675-5633 e (41) 3675-5634

Siga o Agrícola no Twitter.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.