Hecatombe econômica

Hecatombe econômica

O desempenho atual da economia brasileira é comparável a situações de guerra ou catástrofes naturais. O que aconteceu com os responsáveis por isso tudo? O que estamos fazendo para sair dessa situação? O que devemos fazer para garantir que os erros cometidos não se repetirão?

Eduardo Zylberstajn

04 de abril de 2016 | 12h09

Em 2015, nosso PIB (Produto Interno Bruto) recuou 3,8%. Infelizmente, tudo indica* que em 2016 nosso desempenho será semelhante.

Dois anos seguidos com queda de PIB da ordem de 4% é algo raríssimo de se ver no mundo. Usando dados do Banco Mundial, contei quantas vezes algum país teve um biênio com variações anuais menores ou iguais a -3,5% desde 1975. O universo de análise é de 106 países, pois são os que tinham dados disponíveis para todo o período 1975-2014. A maioria dos países que passaram por essa experiência é da África e da Ásia, regiões marcadas por sérios conflitos nos últimos 40 anos. Há também países da América Latina e Europa, como por exemplo, Grécia, recentemente e nossos vizinhos Argentina (em 1982 e 2002) e Uruguai, em 1982.

Essa tragédia econômica ocorreu em apenas 70 dos 4.134 biênios observados para esse universo (106 países x 39 biênios). Ou seja, a frequência desse evento foi de apenas 1,7%. Mesmo sendo um evento de probabilidade tão baixa, nosso país conseguirá a proeza de entrar nesse seleto (e triste) grupo.

Se os números acima não ilustram suficientemente bem o tamanho de nosso problema, escolhi uma outra comparação para dar o devido contexto ao nosso presente. O gráfico abaixo compara o desempenho do Reino Unido nos anos finais da 2a Guerra Mundial com o do Brasil nos últimos anos.

Em resumo: estamos vivendo uma situação de fato catastrófica. A torcida é para que, de uma forma ou outra, nossa ‘guerra política’ termine logo. Quando finalmente ela acabar, precisaremos refletir profundamente sobre nossas instituições, porque não me parece razoável dizer que elas funcionaram plenamente nos últimos anos. O que aconteceu com os responsáveis por isso tudo? O que estamos fazendo para sair dessa situação? O que devemos fazer para garantir que os erros cometidos não se repetirão? Será que demorará para essas perguntas terem a devida atenção?

 


Lista completa dos países com dois anos consecutivos de queda no PIB maior ou igual a 3,5%: Argentina, Bahamas, Bolívia, Brunei, Burundi, Camarões, Chade, Chile, Congo, El Salvador, Fiji, Gabão, Geórgia, Ghana, Grécia, Islândia, Irã, Iraque, Kiribati, Libéria, Nicarágua, Níger, Nigéria, Papua Nova Guiné, Peru, Filipinas, Ruanda, Arábia Saudita, Seicheles, Sudão, Togo, Trinidad e Tobago, Uruguai, Venezuela, Zimbábue

Os dados do PIB do Reino Unido estão aqui:
http://www.bankofengland.co.uk/research/pages/onebank/threecenturies.aspx

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.