A bagunça é mundial

Sim, o Brasil não vai bem, mas que país vai? O mundo inteiro está uma bagunça!

Antonio

01 de novembro de 2019 | 12h28

Para quem acha que o Brasil está uma bagunça, o mundo não vai muito melhor. É verdade que os outros irem mal não resolve nossos problemas, mas saber que não somos os únicos tem um gostinho de “tá vendo? vocês falam de nós, mas vão tão mal ou pior”.

Uma olhada no Brexit é suficiente para mostrar que as coisas estão para lá de complicadas e que a Grã-Bretanha corre sérios riscos, no curto, médio e longo prazo, quando, ao contrário de hoje, pode se transformar numa nação sem a menor expressão nos negócios ou na política.

Os Estados Unidos retiraram suas tropas da Síria e abrem espaço para os turcos atacarem os curdos, antigos aliados dos norte-americanos.

O presidente americano enfrenta um pedido de impeachment e proíbe um embaixador de prestar depoimento no Congresso.

Na França, os coletes amarelos se tornaram tão rotina que saíram das primeiras páginas dos jornais.

Na Itália, os inimigos de anteontem se uniram ontem para formar um governo que tem poucas chances de chegar em algum lugar amanhã, a não ser brecar a extrema-direita hoje.

Em Hong Kong, as manifestações acontecem nos fins de semana, de forma organizada e sem atrapalhar os turistas, mas não param, nem dão sinais de que vão parar.

No Peru, o presidente dissolveu o parlamento e daí pra frente a história tomou feição de ópera-bufa.

No Equador, o presidente fugiu de Quito e transferiu a capital para Guayaquil porque os movimentos indígenas ameaçam seu governo.

A Argentina descamba ladeira abaixo… E tem gente querendo a renúncia do papa.

Não, nós não vamos bem, mas os outros também vão mal.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.