Avenida Paulo “vê i”

Na questão dos nomes dos logradouros, a CET tem agora a colaboração dos aplicativos... No final, papas são transformados em líderes chineses!

Antonio

11 Dezembro 2018 | 08h54

Eu vinha muito bem de volta para o escritório. Seguia pela Avenida Paulo Sexto batendo papo com o motorista do carro de aplicativo. Surpreendentemente, o trânsito fluía numa boa, como se fosse feriado, o que só aconteceria alguns dias depois.

Conversa de passageiro com motorista. Como está a coisa? Tá dando pra faturar? Pagar as contas? O que dá mais, táxi ou aplicativo? Enfim, papo sem maior seriedade, exceto eu receber informações importantes para escrever minhas crônicas.

É incrível a quantidade de informações que um motorista profissional pode te dar em menos de 15 minutos de papo.

Foi aí que, quando o semáforo da Teodoro Sampaio abriu, a voz feminina do aplicativo fala a pérola: “siga mais trezentos metros até entrar na Avenida Paulo “vê” “i”.

Eu comecei a rir. O aplicativo transformou o Papa Paulo Sexto em Paulo “vê” “i”. Nome de MC de funk. “Com vocês, mano Paulo “Vê” “I” e suas minas de ouro. Sobe o som, estoura a caixa, galera!”

Mas o motorista contou uma melhor: a Avenida Pio Doze virou Pio “Xii”.

O santo padre católico apostólico e romano foi transformado em chinês, ninguém sabe de que calibre. Alguma coisa entre vendedor de pastel e líder do Partido.

Aí caiu a ficha: a CET sem querer arrumou parceiros de peso para acabar de destruir a razão de ser dos nomes das ruas e avenidas da cidade.

Se a CET sozinha já conseguia mudar os nomes, transformando personalidades conhecidas do povão em alguém completamente novo, agora, com o auxílio dos aplicativos, a missão ficou ainda mais fácil.  A CET escreve o nome do logradouro errado na placa e o aplicativo amplia o erro, transformando até papas em líderes chineses.