É o frio!

As lareiras não são a realidade de todo mundo no inverno. Aproveite a sua e o seu cobertor quentinho, mas pense nos que são maltratados pelo frio. Quem sabe você pode ajudar...

Antonio

10 de julho de 2019 | 09h04

Quem bate? É o frio! Eu não deixo você entrar. Já é hora de dormir, não espere mamãe mandar. Um bom sono pra você e um alegre despertar.

Dormir no frio, com belos cobertores ou um bom edredon é muito mais gostoso que dormir no verão, com ar condicionado ligado.

O sono tem outra qualidade, a cama tem outro jeito e nós nos viramos nela felizes, dormindo com um sorriso nos lábios. E fica melhor ainda se o quarto tiver uma lareira, for um chalé numa zona de montanha, com a noite incrivelmente limpa e a cerração de manhã cedo.

É bom, não há dúvida, é muito bom. E pra ficar melhor ainda, antes de dormir, rachar uma taça de vinho com a pessoa amada. Aí é o paraíso.

Nessas horas descobrimos como a vida pode ser boa e ser feliz, questão de poucos detalhes. Quem tem juízo agradece, quem não tem, vai na sorte e tudo bem. A vida corre mansa e amiga, como se o tempo fosse sempre bom, o mar calmo e o porto sempre próximo.

Mas se a vida pode ser tudo isso e com sorte ainda um pouco mais, tem gente que vê a coisa de outro jeito. Gente para quem o mundo é cruel e a vida dura, especialmente no inverno.

Nas noites geladas, numa calçada fria, tendo por cobertor jornais velhos e alguns trapos, quem sabe uma garrafa de cachaça e com muita, mas muita sorte, um casaco quente diretamente em cima do corpo.

A vida não é fácil, nem as lareiras são a realidade de todo mundo. Se as noites nas ruas são frias e cruéis, dentro dos barracos na beira da linha férrea não é muito melhor, nem mais quente. A construção precária protege, mas protege pouco. Dentro, o frio corre solto. Passa pelas frestas, entra pelas dobras das cobertas insuficientes. Maltrata.

Pense nisso. É bom e é justo você aproveitar as delícias do inverno, mas tem também quem sofre nele. Quem sabe você possa ajudar.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.