E o mundo avança

O que era bom hoje, estará esquecido amanhã e o que vai ser sucesso num futuro não tão distante provavelmente ainda não foi ao menos pensado!

Antonio

29 de julho de 2019 | 13h40

Quantas verdades, que eram verdades absolutas, estão deixando de ser verdade ou, pelo menos, já não são tão absolutas!

Os avanços da ciência vão quase que diariamente quebrando antigas certezas. A última, foi a saída do homem da África. E a mudança foi fruto do trabalho de cientistas brasileiros que demonstraram, através de provas concretas e não teorias, que o movimento aconteceu pelo menos quinhentos mil anos antes do que se imaginava até agora.

As mudanças estão acontecendo em velocidade vertiginosa. O que valia até ontem não vale mais hoje e estará ultrapassado amanhã.

Da cura de doenças ao uso de veículos elétricos, o mundo se transforma, com consequências dramáticas para os mais variados setores.

Empresas que dominavam o mercado mundial desaparecem, devoradas por outras, desconhecidas até poucos anos atrás.

O que era bom hoje estará esquecido amanhã. Quem se lembra dos telefones de disco? Quem se lembra dos primeiros celulares, verdadeiros tijolos que mal e mal falavam e não faziam mais nada?

Você ouviu falar em máquina de escrever com esfera? E em fax? Pois é, já foram revolucionários, da mesma forma que os discos de vinil, os gravadores de rolo e os vídeos cassetes.

Não fazem mais o menor sentido no mundo atual, da mesma forma que ideologias como comunismo, que só sobrevivem na América do Sul, permanentemente algumas décadas atrás do resto do planeta.

Mas se o presente é altamente incerto, vítima de transformações alucinadamente rápidas, o futuro não é sequer imaginável. As novas tecnologias, as novas descobertas acontecem numa velocidade impressionante. Provavelmente, o que vai ser sucesso num futuro não tão distante ainda não foi ao menos pensado.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.