Não tem nem pedido de desculpas

Se foi tudo sem querer, pra quê pedir desculpas??

Antonio

19 de março de 2019 | 14h54

Uma tarde você chega em casa e encontra a melhor amiga de sua mulher sentada na sala folheando uma revista de quase celebridades. Por ela você fica sabendo que sua mulher está acabando de se arrumar e… “ah! sim, é verdade, estava quase me esquecendo… quando vi a revista, sentei primeiro na mesinha e quebrei os óculos multifocais com lentes automáticas da sua mulher.” Mais nada, só isso. Continuou folheando a revista.

No dia seguinte, você chega no seu escritório e descobre que o cliente quase amigo resolveu dar uma passada, está na sua sala, tomando um café.

Você entra na sala meio chateado – afinal, a sala é sua e pode ter documentos que não são da conta de outra pessoa -, mas tudo bem, ainda é de manhã cedo, para quê se chatear à toa? Você faz cara de paisagem e entra.

Seu cliente quase amigo se levanta, lhe abraça e explica como ele estava passando pela porta e decidiu parar para fazer uma consultinha sem maior importância.

Ah! sim, enquanto ele esperava, para passar o tempo, pegou seu tablet em cima da mesa e sem querer deixou cair no chão e quebrou a tela. Só isso, nem uma palavra a mais.

Você vai ao clube e descobre que seu quase parceiro de tênis abriu seu armário e pegou sua raquete nova. Como ele tinha outras coisas para fazer e você não chegava – até porque você não ia ao clube – ele deixou a raquete quebrada com o responsável pelo vestiário.

No dia seguinte, sua mulher – usando os óculos velhos – lhe conta que um cunhado vem de visita. Você chega em casa e seu cunhado, rindo, lhe conta que bateu seu carro. “Eu fui sair da garagem, não calculei a distância do muro e raspou a lateral.” Mais nada. Quem falou em pagar ou num mero “me desculpe”? Pra quê, se foi tudo sem querer?