Os semáforos implicantes

Será mesmo que os semáforos são mais inteligentes que os operadores da CET?

Antonio

08 Outubro 2018 | 09h25

Um amigo diz que o problema não é um problema, o que acontece é que os semáforos são mais inteligentes do que os operadores da CET.

Eu não tenho dados confiáveis para afirmar isso, mas, perdido dentro da nevoa densa dos conhecimentos e desinformações sobre o tema, tenho que reconhecer que faz sentido.

Quem acha que eu abandonei a campanha pelo fim da CET está enganado. Mais do que nunca, nesta hora complicada da vida nacional, o fim da CET pode ser um norte apontando a trilha da recuperação do país.

O fim da mais incompetente de todas as empresas públicas incompetentes seria um marco forte para servir de exemplo para começarem a fazer tudo o que precisa ser feito no Brasil.

Exemplo da incompetência da CET é o que não falta. Por isso, para não complicar, hoje vou pegar um que não tem mistério: os semáforos da Rua Jaguaribe.

Da Avenida Angélica até a Amaral Gurgel todos os semáforos abrem exatamente ao contrário ou, melhor, abrem inversamente ao fluxo de trânsito.

Você está parado num semáforo, ele abre, você sai e no meio do caminho vê o semáforo da esquina seguinte ficar vermelho, justamente quando você está chegando nele.

É um depois do outro, exatamente na mesma toada, como se quisessem fazer você de bobo, desde a Avenida Angélica até o Minhocão.

Não, eles não são a exceção, são a regra. A tortura se repete na maioria das ruas da cidade. Como não me parece crível que os operadores da CET tenham competência para fazer isso deliberadamente, sou obrigado a escutar meu amigo e concluir a crônica perguntando: será que os semáforos são mais inteligentes que os operadores da CET?