Por que a vida pega tão pesado?

Em algumas manhãs mais cinzas, me pergunto por que a vida pega tão pesado... Mas a vida não tem explicação e não pede licença. Ela é assim porque é assim que ela é.

Antonio

25 de outubro de 2019 | 08h32

Tem algumas manhãs, normalmente mais cinzas, em que eu acordo e me pergunto por que a vida pega tão pesado…

A pegada não é necessariamente em mim ou em alguém muito próximo.

Na maioria das vezes é porque ouvi alguma história ou li notícia dando conta de uma barbaridade, de uma atrocidade, de um fato sem explicação, com final trágico ou muito triste.

Por que uma menina de oito anos de idade é baleada? Por que milhares de crianças ao redor do mundo são massacradas, de uma forma ou de outra, todos os dias, chova ou faça sol?

Por que de repente a vida pega numa doença inesperada, num acidente, numa discussão em sentido, numa briga de trânsito?

Por que acontece com você hoje e comigo amanhã? Qual a lógica, se é que tem lógica?

O que faz o bom morrer sofrendo e gritando de dor e o mau aproveitar o fruto de sua maldade por longos e bem vividos muitos anos?

Quem explica por que alguém está no lugar errado, na hora errada e acaba pagando o preço de uma dívida que não é sua?

Quem explica por que um cidadão cai de um patinete, bate a cabeça e morre, enquanto outro cai de outro patinete e não esfola nem o joelho?

A vida não tem explicação. A vida é vida e não pede licença para ninguém. Vem, passa e se vai com a indiferença que lhe dá o fato de ser vida e ver de tudo, desde os princípios dos tempos.

Não tem porquê, não tem explicação, mas com certeza também não tem acaso. As coisas são porque são, numa sequência além da nossa compreensão, que as faz ser como são, sem explicar nada, sem dar qualquer resposta, apenas porque a vida é a vida e é assim que ela é.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.