Educação básica: o caminho é acelerar políticas públicas

Educação básica: o caminho é acelerar políticas públicas

Wal Flor

02 de março de 2021 | 16h13

Projeto Rotas do Saber da FCA, em Igarassu – PE / Obs: esta foto foi tirada em 2019, antes da pandemia de coronavírus

Em Igarassu, uma cidade com pouco mais de 115 mil habitantes no estado de Pernambuco, a professora Elcione foi eleita prefeita, com cerca de  64% dos votos, no primeiro turno de 2020. Um dos motivos para a expressiva eleição é o salto que o município teve no nível de aprendizagem dos alunos da educação básica.

O local atingiu as metas do IDEB (Índice de Desempenho Educação Básica) com dois anos de antecedência. Nos anos iniciais do ensino fundamental, as escolas da região passaram de 3.9, em 2013,  para 5.1 em 2019. Nos anos finais do fundamental 2, o pulo foi de 2.8 para 4.7.  Já o investimento na 1ª escola em tempo integral, alavancou o Centro de Educação Integral Cecília Maria Vaz Curado, considerada a pior escola da rede, com IDEB de 1.9 em 2013, para 5.9 em 2019, ultrapassando a meta nacional.

Parte deste sucesso está nas mãos da Secretária Municipal de Educação Andreika Asseker. Ela afirma que uma mudança significativa era necessária no início de 2013, porém os meios para uma solução eram desconhecidos. A cidade, que possui 13.500 alunos numa rede composta por 48 escolas, começou a enxergar novos caminhos com a chegada do Polo Jeep. A fábrica da Fiat Chrysler Automobiles (FCA) na região de Goiana, município vizinho a Igarassu, considerada a mais moderna planta produtiva e sustentável do grupo FCA, chegou trazendo desenvolvimento local para a região. Eles iniciaram um diagnóstico econômico da zona da Mata Norte e um plano de desenvolvimento com a comunidade, que deu origem ao programa Rota do Saber.

Além da FCA, participaram do projeto o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES), Instituto Qualidade do Ensino (IQE) e as prefeituras municipais. Ao todo, o Rota do Saber está presente em seis municípios, sendo quatro em Pernambuco e dois na Paraíba, e os números são expressivos: 183 escolas foram aderidas, impactando mais de 30.000 alunos durante um ciclo de três anos. Entre as principais iniciativas estão a qualificação de gestores pedagógicos e professores de escolas públicas do Ensino Fundamental.

Segundo Andreika Asseker, que fez mestrado em tecnologia na Universidade Federal de Pernambuco, depois de quase 1 ano de pandemia a grande necessidade é  a tecnologia.  Apenas 25% dos alunos têm acesso à internet.  Entretanto, a falta de conectividade não foi motivo para a cidade parar o contato com os alunos em 2020. Além das cartilhas impressas, até o rádio foi utilizado. Em uma parceria com a Top FM de Igarassu, a secretaria criou dois programas diários, um na parte da manhã e outro na parte da tarde. Os professores gravavam  áudios com dicas para alunos. Às vezes apenas uma palavra de incentivo. Isso provocou um movimento enorme na cidade. “Além do lado cognitivo, temos que cuidar do lado emocional também”, diz a empoderada Andreika.

Segundo Luciana Botelho Arabi, coordenadora de sustentabilidade do grupo FCA e agora Stellantis Latam, apoiar a educação pública era tradição da família Agnelli, uma das fundadoras da FIAT.  Com o amadurecimento das políticas de responsabilidade social no Brasil,  a empresa começou a mensurar melhor seu impacto. “Aprendemos e nós temos a crença que devemos nos concentrar na aceleração de políticas públicas educacionais. A pandemia trouxe um senso de coletividade para a saúde.  Precisamos somar esforços e fazer em conjunto para melhorar a educação do país”, informa Luciana.  “A sobrevivência da empresa no entorno do Polo Jeep depende da formação de qualidade, não só para as pessoas se tornarem trabalhadoras de nossas fábricas, mas para a população compreender o valor agregado dos nossos produtos”, completa Luciana.

Para 2021, a organização prepara novos compromissos para ampliar o seu impacto social positivo. O meio ambiente também ganhará destaque, com o lançamento de uma matriz energética mais sustentável para seus automóveis. Consistência é bom e a gente agradece!

Tudo o que sabemos sobre:

educação

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.