Ninguém muda o mundo sozinho

Ninguém muda o mundo sozinho

Wal Flor

13 de abril de 2017 | 17h19

Nos últimos tempos tenho notado um expressivo aumento de empresas e marcas interessadas em causas sociais. Um movimento crescente que me deixa extremamente feliz e empolgada com o que está por vir. Tem muita gente querendo saber mais sobre o assunto, buscando um maior envolvimento.

Estamos ganhando mais amplitude e profundidade nas discussões e iniciativas, e esse aprendizado é fruto de muitos acertos e erros das marcas, principalmente as mais corajosas. Afinal, que marca inovadora nunca errou, nunca exagerou na dose?

shutterstock_556953802

Créditos: divulgação

Um dos segredos do sucesso é construir sua causa social da forma mais colaborativa possível. Também é importante montar um time composto pelos mais diversos olhares, envolvendo vários stakeholders estratégicos. Um olhar que vai muito além do seu target.

Não, não é um processo simples. É preciso muito cuidado nestas relações. Compartilhar o mesmo propósito, confiança, transparência e brilho no olhar são essenciais.  Sim, é um processo demorado, que tira a autonomia das marca e impõe um outro ritmo à iniciativa. Por outro lado, o processo tem potencial para criar um MTP – Massive Transformative Purpose, uma tendência que vem do Vale do Silício. Algo bem explosivo.

Para tanto, muitas boas conversas são necessárias para se chegar num modelo autêntico, assertivo, no tom e na execução admiráveis.  A recente repercussão da campanha da Pepsi expõe uma questão essencial para os criadores: a campanha foi criada e ouvida por pessoas diversas?

Tenho certeza que a intenção do time foi a melhor possível, mas exageraram e foram pouco cuidadosos com determinados grupos de interesse. Desta vez erraram mais do que acertaram, e é difícil acertar o tempo todo. E olha que estamos falando de uma marca que sempre foi muito inovadora e visionária.

Se queremos ser parte da solução, que tal darmos um voto de confiança para quem está tentando fazer um mundo melhor? E para as marcas, #ficaadica, que tal trabalhar a diversidade na criação e execução da sua causa? Precisamos ser mais plurais. Precisamos saber conversar com mais profundidade e criatividade com os diferentes grupos da sociedade. Ninguém muda o mundo sozinho.