Torcer para o Brasil, todos os dias.

Torcer para o Brasil, todos os dias.

Wal Flor

06 Julho 2018 | 12h17

Em tempos de copa do mundo, é bonito ver o Brasil de verde amarelo nas ruas, as pessoas otimistas, com suas fantasias alegres e criativas. É o Brasil de cara pintada, pronto para enfrentar os maiores países do mundo. Poucos são os assuntos que unem tanto o brasileiro, quanto torcer para o país durante a copa do mundo de futebol. Eleições, greves, não tem o mesmo poder. As mobilizações políticas dos últimos anos conseguiram levar alguns milhares de pessoas para as ruas, mas nada se compara ao verde e amarelo durante os dias de jogo.

As campanhas das marcas patrocinadoras do futebol acompanham o ritmo da copa e reforçam nosso otimismo, com paixão, empatia e a resiliência da cultura brasileira.

Como os últimos indicadores econômicos não são muito animadores, a performance do Brasil na copa tem potencial para ser, finalmente, uma boa notícia para o país. Ganhar a copa pode contribuir para melhorar o otimismo do brasileiro e consequentemente mais um fio de esperança para uma retomada mais consistente do nosso crescimento econômico.

Sou do time dos otimistas, entretanto como empresária e empreendedora brasileira tenho doses diárias da nossa realidade para saber que a vitória do país em um evento esportivo não é suficiente para a retomada do nosso crescimento, em especial os indicadores de emprego e renda. E por falar em emprego, dos 2 milhões de novos postos de emprego que devem ser criados no Brasil, em 2018, dois terços devem ser oriundos da atividade empreendedora. O empreendedorismo vem ganhando cada vez mais espaço no País, de acordo com pesquisa realizada pelo Banco Santander.

Já segundo o Sebrae, os 9 milhões de pequenos negócios existentes no Brasil respondem por 27% do Produto Interno Bruto (PIB), com uma mínima diferença entre homens e mulheres, com uma ligeira prevalência para o gênero feminino. O empreendedorismo é fundamental para o crescimento da economia e para a geração de empregos e, por isso, precisa ser apoiado e incentivado.

Futebol é entretenimento, é diversão, mas as marcas podem ir além deste território esportivo e fazer pelo Brasil mais do que apenas torcer durante a copa. Ainda são poucas as marcas que navegam pelo território do empreendedorismo como uma estratégia eficiente de marketing de causa. São muitas as oportunidades de atuação e fomento a esta economia como incentivo ao tema nas mídias de massa por meio de compartilhamento de experiências e da aproximação com o ambiente educacional, seja na escola fundamental ou nas universidades. Educar para o empreendedorismo é fundamental para a qualificação da atividade no Brasil.

Ainda segundo o Sebrae, quanto mais cedo o espírito empreendedor for disseminado, maior será a chance de se ter jovens empreendedores no futuro. Para se ter êxito esse jovem precisa ter uma boa base de conhecimento sobre plano de negócios, estudo de mercado e fatores econômicos que afetam o negócio, dentre outros aspectos essenciais.

A cada 4 anos eu me visto de verde e amarelo e torço para o Brasil ganhar a copa do mundo de futebol, mas independente do nosso resultado no campo, eu torço e trabalho todos os dias para transformar o Brasil num país melhor para todos nós. Borá jogar este jogo juntos?