Menos saldo de crédito e menos empregos

Celso Ming

27 Julho 2016 | 21h10

 

Tanto a redução do saldo do crédito (de 2,8%) quanto a redução dos postos de trabalho medida pelo Caged (menos 531,8 mil), ambos no primeiro semestre do ano, são manifestações do mesmo fenômeno: recessão, aumento dos custos financeiros, queda da confiança. Por enquanto, a recuperação não passa de indícios que não conseguem se encorpar diante das enormes incertezas enfrentadas na economia e na política. Por falar em incertezas, um jogo de empurra parece se formar. Leia a análise aqui.

Acima, a evolução do estoque de crédito do sistema financeiro nos primeiros semestres desde 2010