Antiterror

Embora não tenha dito, é bem mais provável que Obama esteja mais preocupado com a lavagem de dinheiro e com o desvio de recursos que acabam por financiar o terrorismo

Celso Ming

05 de abril de 2016 | 17h42

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, advertiu nesta terça-feira, 5, que o vazamento de 11,5 milhões de documentos de apenas uma firma de advocacia no Panamá, os chamados Panama Papers, dá uma ideia das proporções da evasão fiscal em todo o mundo, num momento em que grande número de países enfrenta graves perdas de arrecadação e aumento de despesas com benefícios sociais.

Embora não tenha dito, é bem mais provável que Obama esteja mais preocupado com a lavagem de dinheiro e com o desvio de recursos que acabam por financiar o terrorismo.

As iniciativas com o objetivo de fechar o cerco aos paraísos fiscais fazem parte de decisão estratégica tomada no âmbito do Grupo dos Vinte (G-20). Com o apoio logístico dos países ricos, é a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) que está liderando essa ofensiva no momento.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.