Brasil está em situação privilegiada

Celso Ming

23 de setembro de 2010 | 13h20

O desemprego no Brasil caiu ainda mais em agosto. Ficou em apenas 6,7% da força de trabalho, o menor desemprego mensal desde que o IBGE começou a medi-lo, sob novos critérios.

É uma situação privilegiada do Brasil, porque no resto do mundo, especialmente nos países ricos, a situação é inversa: o desemprego é forte e aumenta.

O IBGE mostrou, também, que, em agosto, 46,2% dos trabalhadores ocupados no Brasil tinham carteira de trabalho assinada. Ou seja, estão no emprego formal. Já é significativamente mais do que em agosto do ano passado, quando eram 44,5%.

Mas carteira assinada não significa necessariamente emprego formal. Muitas vezes o trabalhador tem sua carteira assinada com salário mínimo, mas ganha mais por fora. É o que acontece com empregadas domésticas e com os trabalhadores no comércio, que, em geral, ganham mais comissão sobre vendas do que salário.

Em todo o caso, é crescente o emprego formal no Brasil, o que é também um bom indicador de que a economia paralela está diminuindo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.