Contrapeso

Celso Ming

26 Julho 2016 | 21h10

O saldo negativo em conta corrente em junho foi maior do que o esperado em cerca de US$ 1 bilhão. Isso mostra que a nova valorização do real (baixa do dólar) começa a trabalhar pelo aumento (ou pela não redução) do déficit. Outra observação: a entrada de dólares pela conta financeira (aplicações em renda fixa) continua negativa. Ou seja, os juros altos continuam tendo pouca influência relativa na entrada de capital especulativo.

Aí está a evolução do rombo das contas externas (déficit em conta corrente) medido pelo tamanho do PIB.  Leia também a minha análise sobre a Ata do Copom aqui.