Dólar fraco incomoda Tesouro

Celso Ming

28 de setembro de 2010 | 14h54

O secretário do Tesouro, Arno Augustin, está dizendo que o Tesouro está comprando dólares. E não é compra de dólares para alimentar o Fundo Soberano com capital estrangeiro. É para pagar dívida externa, diz Augustin.

A rigor, a dívida externa líquida é negativa. O Brasil é credor líquido internacional na medida em que está mais aplicado lá fora em títulos de países ricos do que está devendo em dólares aqui dentro.

Há alguns dias, o Tesouro aumentou a tomada de dólares lá fora para renovar dívida externa; agora, seu secretário está dizendo que está pagando dívida externa.

É claro, o que incomoda o governo e, particularmente, o secretário do Tesouro, é o dólar fraco em reais, que tira competitividade ao produto brasileiro. E não a situação da dívida externa.

O problema é que o governo quer e não quer. Quer dólares para investir no pré-sal, no trem-bala, nas obras da Copa e da Olimpíada, mas depois fica pouco confortável com a valorização do real.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.