É a economia

Celso Ming

18 de agosto de 2010 | 13h28

Os jornais estão agora à procura de razões que justifiquem a forte queda nas pesquisas de intenção de voto do candidato da oposição, José Serra, logo ele, que liderava todas as enquetes até há algumas semanas.

E a maioria dessas razões não explica nada. Dizer que Serra ficou parado e deixou à espera seus aliados justifica pouca coisa. É verdade que fez lambanças demais no processo de escolha do vice; que é excessivamente centralizador; que vem conduzindo mal sua campanha e tal. Mas nada disso explica.

A mais importante razão que derrubou o candidato José Serra nas pesquisas é a percepção do eleitorado de que a economia está razoavelmente bem conduzida e vem proporcionando confortos melhores do que há alguns anos aos cidadãos de praticamente todas as classes sociais.

Na campanha contra o presidente Bush, os marqueteiros do então candidato Bill Clinton criaram o slogan “É a economia, idiota”. Os administradores da campanha de Dilma Rousseff poderiam dizer o mesmo. Só falta o candidato José Serra incorporar essa mensagem.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.