O que esperar da cotação do dólar?

Não há quem tenha certeza do que vá acontecer com as cotações da moeda estrangeira; As apostas estão atreladas ao jogo político e têm limitações

Celso Ming

07 de abril de 2016 | 18h22

Quase todo dia alguém me procura para saber o que deve esperar da cotação do dólar: vai subir ou continua o mergulho?

Não há, no Brasil, quem tenha certeza do que vá acontecer com as cotações da moeda estrangeira em reais. O que há são apostas e suas limitações.

A aposta número um dá como certa a decisão do impeachment. Se mudar o governo, o pressuposto é o de que a economia não piore, ao contrário, tende a melhorar. Se melhorar, mais dólares chegarão por aqui e as cotações teriam tudo para baixar. Essa aposta leva lá uma certa dose de precariedade, porque não é inteiramente certo que tudo melhore apenas com a instalação de um novo governo.

Primeiro é preciso saber até que ponto o novo governo conseguiria unir o País e qual seria o grau de confiança que passaria. E isso dependerá, outra vez, do jogo político – e do que a Operação Lava Jato continue a aprontar. E, segundo, um novo governo terá de repassar uma conta colossal para os brasileiros e isso vai doer. Ou seja, a recessão poderá continuar.

A outra aposta é a de que a presidente Dilma consiga derrubar o impeachment. O mais provável, nessa condição, é que tenha enormes dificuldades para governar e que a economia desande. Nessa hipótese parece inevitável nova desvalorização do real. Mas isso não é tudo, porque há o Banco Central, que tem nada menos que US$ 370 bilhões em reservas, ou seja, sempre poderá atuar no mercado para segurar uma alta considerada excessiva.

De todo modo, esta crise não se caracteriza, como as anteriores, por uma forte crise cambial. Não há fuga de dólares e as contas externas estão em boa condição.

Como se vê, não há resposta satisfatória para a pergunta que inicia este texto. Isso aqui é como as noites de verão nos trópicos. Tanto pode pintar chuva torrencial como céu estrelado. Os mais prevenidos não dispensam capa e guarda-chuva.

Tudo o que sabemos sobre:

celso mingdólar

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.