Reparação

Celso Ming

09 de agosto de 2016 | 21h05

Uma grave omissão dos clássicos que rastreiam nossas origens foi, em parte, reparada agora pela festa de abertura dos Jogos Olímpicos que explicou o Brasil não só pela contribuição de índios, portugueses e negros, mas também pela dos imigrantes, representados na festa pelos “árabes” (sírios, libaneses, etc.) e pelos japoneses.

Os analistas da formação dos Estados Unidos não se limitam a dar importância aos pais fundadores, peregrinos do Mayflower, dos indígenas e dos negros. Acentuam a importância dos imigrantes italianos, alemães, irlandeses e latinos. No Brasil não acontece a mesma coisa, talvez porque a maior parte desses estudos aconteceu durante as guerras quando italianos, alemães e japoneses eram considerados inimigos. Leia a análise.

Tendências: