A dificuldade de comparar os preços das ofertas das teles

Economia & Negócios

24 Setembro 2018 | 16h18

As promoções de serviços prestados pelas teles (internet, TV paga,celular) valem para novos e antigos clientes, mas o problema é que a falta de transparência nas informações dos sites das empresas dificultam comparar o que é oferecido, com o que já se tem contratado.

As variáveis são muitas e, se não ficar atento, o consumidor acaba prejudicado. Um pacote de TV paga, por exemplo, parece mais atrativo do que o já contratado, até se perceber que aquele canal favorito está fora da oferta e precisa ser pago à parte. Sem contar a multa decorrente da fidelização do seu plano atual, no caso de quem contratou a menos de um ano.

O direito à informação na contratação do serviço é desrespeitado com os artifícios utilizados pelas empresas. Para se livrar das armadilhas o consumidor deve ligar para o Serviço de Atendimento e tirar todas as dúvidas.

Antes de formalizar a contratação de qualquer serviço, as operadoras  devem informar  sobre a oferta de forma clara. As empresas devem informar, por exemplo, se o valor inicial é ou não uma promoção  e, caso seja promoção, até quando ela vale e qual será o valor do serviço quando ela terminar.

A Anatel determina que as empresas mantenham nos sites mecanismos de comparação dos planos ofertados. O objetivo é facilitar na identificação da opção mais adequada ao perfil de consumo de cada um. Mas tente encontrar isto nos sites.

Também devem  ficar claros quanto tempo demora até a instalação do serviço; o que está incluído nas franquias e o que está fora delas; quais velocidades mínima e média garantidas para conexão, no caso de internet.