Acordo da VW precisa ser estendido ao Brasil

Empresa confirmou que picapes Amarok, vendidas no País estão equipadas com o software que frauda testes de emissão de gases poluentes em veículos a diesel

Economia & Negócios

28 Junho 2016 | 17h39

O acordo de US$ 15 bilhões fechado pela VW nos Estados Unidos por conta dos danos causados pela fraude de emissões de poluentes de veículos movidos a diesel precisa ser estendido ao Brasil. Afinal, a empresa confirmou, ainda no ano passado, que 17.057 picapes Amarok, vendidas no País, produzidas em 2011 e 2012, estão equipadas com o software que frauda testes de emissão de gases poluentes em veículos a diesel.

Nos Estados Unidos a VW disponibilizará um total de US$ 10,03 bilhões, para compensar os donos de carros afetados. O montante cobre a recompra dos veículos com os preços de antes de o escândalo se tornar público em setembro e também o pagamento de indenizações de cerca de US$ 10 mil por unidade. Os montantes podem aumentar caso a montadora perca o prazo de reparação dos carros.

No Brasil o impacto da fraude é menor porque a lei proíbe veículos leves com motores a diesel. O Ministério do Meio Ambiente precisa agir rapidamente. Os consumidores com veículos afetados podem acionar a montadora na Justiça e pedir ressarcimento, se não for feito acordo pela montadora.