Alta do dólar prejudica o acúmulo de milhas

Alta do dólar prejudica o acúmulo de milhas

Economia & Negócios

05 de janeiro de 2015 | 22h06

airplane

Concentrar gastos no cartão de crédito costuma ser a tática mais adotada para acumular milhas em programas de fidelidade. Mas nem sempre é mais econômico fazer compras no cartão de crédito para acumular milhas e adquirir passagens aéreas.

A alta do dólar tornou desfavorável a conversão para pontos da maioria dos cartões de crédito. A conversão é proporcional ao desembolso equivalente em dólares de cada fatura.

Portanto, o consumidor tem de ficar atento à quantidade de milhas que será obtida com cada despesa antes de contratar o cartão de crédito.

Na maioria dos casos, um ponto é igual a uma milha. A taxa de conversão de dólar para pontos é que costuma variar em função do câmbio.

Para cada tipo de cartão há um tipo de conversão de pontos e pontuação mínima para transferir. Também se deve levar em conta quais são as companhias parceiras do cartão de crédito e o valor da anuidade, para avaliar se compensa a adesão.

É preciso ficar alerta aos prazos de validade dos pontos obtidos e das milhas já convertidas de companhias aéreas.
O consumidor também não pode esquecer que pode haver até duas etapas de conversão: de dólares para pontos e desta pontuação para milhas. Cada cartão tem uma escala de valores que dita quanto um dólar rende em pontos.

A pontuação, ao fim, é convertida em milhas de companhias aéreas após solicitação do consumidor. Normalmente, há um prazo em dias úteis para que a transferência seja realizada dos pontos para milhas. Apenas cartões exclusivos de uma única companhia aérea possibilitam transferência automática.

Tudo o que sabemos sobre:

MilhasPassagem aérea

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.