Apelo do comércio para alavancar as vendas exige cautela

Muitas vezes, o desconto anunciado incide sobre um preço elevado às vésperas da promoção

Economia & Negócios

07 Novembro 2016 | 09h52

Para aquecer as vendas, o comércio está com promoções cujos anúncios prometem descontos expressivos nas mais variadas linhas de produtos e de serviços. Há lojas que aproveitam o termo ‘Black Friday’, só prevista para o próximo dia 25, para alavancar desde já o faturamento e limpar os estoques das lojas antes das compras dos presentes natalinos.

Fique atento, pois alardear que um produto está 50% mais barato não significa que seu preço tenha sido cortado pela metade. Muitas vezes, o desconto incide sobre um preço elevado às vésperas da promoção. O recomendável é acompanhar os preços dos produtos que lhe interessam. Assim perceberá se estão mais em conta ou não.

Não adquira nada por impulso. Há risco de adquirir algo que não seja necessário. Quanto mais caro o item, maior deve ser a cautela para que não se gaste o que não se tem para comprar o que não precisa.

Além do preço promocional, pesquise nas redes sociais e entidades de defesa do consumidor se a loja tem muitas reclamações de consumidores insatisfeitos. Não são raros os casos em que o produto pago não é entregue no prazo; às vezes, nunca.

Na compra em loja virtual procure informações como razão social da loja, CNPJ, e endereço, além de telefone e e-mail para contato, para poder exigir o cumprimento da oferta, em caso de problema futuro.

Lembre-se de que nas compras a distância você tem o direito de desistir em até 7 dias, mas dá dor de cabeça.

Mais conteúdo sobre:

direito do consumidorBlack Friday