Busque formas alternativas de pagar se boleto não chegar

Claudio Considera

24 de agosto de 2020 | 10h08


Já parece fazer parte do calendário a greve anual dos funcionários dos Correios, mas este ano tem o agravante da pandemia da Covid-19, que tornou o serviço de entrega ainda mais fundamental. E a qualidade do serviço prestado deixou a desejar neste período, entupindo de reclamações as entidades de defesa do consumidor.

Greve dos Funcionários dos Correios 

Cotado para privatização, os Correios falharam com atrasos nas entregas, e, agora com a greve é preciso fica atento porque as contas podem não chegar. Fique de olho nos prazos de vencimento e acerte com os credores outras formas de quitar a dívida, já que a paralisação não o isenta de pagar seus débitos no prazo.

Uma das possibilidades é obter a segunda via por e-mail, por whatsApp, ou gerar o documento de pagamento no próprio site da empresa. Só há isenção de pagamento na data de vencimento caso a empresa não disponibilize outra forma de pagamento. Mas essa negativa pelo fornecedor deve ser documentada de alguma forma pelo consumidor para ser válida na hora de reclamar pagamento após o vencimento, sem juros e multa.

Quanto a má prestação dos serviços dos correios ou prejuízos, cabe reclamação junto aos órgãos de defesa do consumidor. Para reclamar dano moral, o consumidor tem de procurar o Juizado Especial Cível.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.