Carros com defeitos não podem continuar circulando

Carros com defeitos não podem continuar circulando

Além de brasileiros não estarem atendendo a recalls, montadoras têm convocado veículos para reparo de defeitos sem ter as peças para conserto; País vive situação alarmante

Economia & Negócios

08 Abril 2015 | 16h11

A julgar pelas queixas dos consumidores tende a ampliar o número de carros com riscos à segurança em circulação pelas ruas e estradas do País. Montadoras têm convocado para reparo de defeitos sem ter as peças para conserto. Somado ao problema recorrente de que os brasileiros não atendem aos recalls, tem-se uma situação alarmante.

 

Veículos com problemas dos mais variados estão rodando sem o ajuste recomendado pela própria fábrica. Isso piora ainda mais a situação de um trânsito já caótico e mortífero.

 

Em março, a Land Rover convocou 210 Range Rovers para recall por problema nos freios / Divulgação

Em março, a Land Rover convocou 210 Range Rovers para recall por problema nos freios / Divulgação

Já não basta exigir que montadoras e importadoras, ao tomar conhecimento da necessidade de recall, comuniquem o fato imediatamente. Elas têm que fazer o reparo de imediato e não submeter os proprietários a fila de espera.

 

Em situações como esta, o consumidor deve recorrer ao Serviço de Atendimento ao Cliente das montadoras e se não conseguir agendar o reparo do defeito em curto prazo deve recorrer à Justiça.

 

De acordo com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), somente 20% dos chamados comparecem às concessionárias para os reparos necessários. É inadmissível colocar vidas em risco pela combinação de falhas no controle de qualidade dos fabricantes, desinteresse dos proprietários em corrigi-las e consequentes acidentes de trânsito. Todos devem fazer a sua parte.

Leia também:

Compra e venda de veículos terá nova regra em 30 dias

Land Rover amplia recall do Range Rover

Audi faz recall em três modelos no Brasil

Mais conteúdo sobre:

recall