Cautela e caldo de galinha

Economia & Negócios

28 de dezembro de 2015 | 15h23

Nas charges, o ano novo é um bebê, e o ano que se despede, um velhinho com ar cansado.

Contrariando essa lógica, 2016 já nasce envelhecido, com muitas marcas e olheiras.

Inflação na casa dos dois dígitos, recessão, desemprego e desequilíbrio fiscal.

Ao consumidor, recomendamos cautela e caldo de galinha. Pesquise preços, faça um orçamento detalhado e rigoroso. Não se endivide. Um dia essa crise vai passar, mas isso pode demorar. Feliz 2016, na medida do possível!