Cautela na compra do imóvel

Claudio Considera

23 de dezembro de 2019 | 10h57

Em todas as projeções econômicas para 2020, que já está dobrando a esquina, se sobressai a retomada da construção civil. Isso aumentará a oferta podendo tornar mais vantajosas as oportunidades para o consumidor.

Livrar-se do aluguel e comprar  imóvel requer cautela (Foto:Estadão)

Contudo, cabe um alerta: compare e avalie muito bem as ofertas. Se o seu emprego não tem registro em carteira,  não há ganhos adicionais como 13º salário e férias. Também não é recolhido o Fundo de Garantia. Ou seja, se o seu trabalho não tem registro em carteira, o ideal seria dar uma boa entrada, que reduza o valor do crédito habitacional.

A Caixa Econômica Federal baixou para 6,75% mais TR a taxa mínima de juro para a compra da casa própria. Mas a redução maior vale para o cliente com maior relacionamento financeiro com a CEF.

Se tiver conta-corrente em outro banco, negocie com o gerente. Lembre-se que será um compromisso financeiro por muitos e muitos anos. E que o financiamento cobre em torno de 80% do valor do imóvel, ou seja, você terá de bancar, no mínimo, 20% do total.

Feliz Natal!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: