Ceia e presentes de Natal pedem criatividade

Ceia e presentes de Natal pedem criatividade

Claudio Considera

22 de novembro de 2021 | 08h56


Todos nós somos, em algumas situações, apegados à tradição. Por exemplo: a troca de presentes e a ceia de Natal. Acima das crenças religiosas, o Natal é uma festa de confraternização familiar.

No ano passado, o necessário distanciamento social impediu que milhões de brasileiros se reunissem nesta data. Este ano, o avanço da vacinação e a redução dos casos de Covid-19 deverão permitir um Natal mais caloroso.

Mas a crise econômica, o desemprego e a inflação nos infernizam. O panetone, um dos ícones da ceia, está quase 26% mais caro. O peru, mais de 7%, mesmo percentual de aumento do preço do chester.

Seja criativo (a), pesquise e compare preços e produtos, substitua um item muito caro por outro mais em conta. Para o presente, a saída é organizar um amigo secreto (oculto). O mais importante é a reunião familiar e de amigos.

Somente estarmos vivos, em meio a tanto sofrimento e perdas, já deveria ser motivo de festa.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.