Chance de sair do cadastro positivo

Claudio Considera

23 de setembro de 2019 | 09h55

O consumidor deve começar a receber comunicado dos bancos de dados responsáveis pelo cadastro positivo sobre a inclusão automática de seu histórico de pagamentos para ter chance de informar se não quiser participar. É fundamental o direito a informação e o de escolha para quem não deseja ter suas informações pessoais e financeiras compartilhadas.

Crédito mais barato com cadastro positivo?

Quem permanecer no cadastro terá disponibilizadas todas as informações sobre o comportamento de pagamento. O compartilhamento dessas informações com o mercado ocorrerá após 60 dias da comunicação ao consumidor de que seus dados positivos foram incluídos pelos bureaus de crédito como Boa Vista, Serasa, SPC e Quod na lista de bons pagadores.

Para deixar de fazer parte do cadastro o consumidor precisa enviar solicitação a um dos bureaus de crédito, que compartilhará a solicitação com os demais para eliminar as informações no prazo de dois dias úteis. A regulamentação do cadastro positivo pelo decreto 9.936, foi publicada em julho, https://bit.ly/32VbD0S

O temor de consumidor desinteressado em se manter no cadastro é que informações disponíveis sobre seu perfil financeiro acabem por gerar perturbações com avalanches de ofertas indesejadas de produtos e serviços.

Vamos ver se ocorrerá na prática a alegada redução do spread bancário (diferença entre o que o banco paga na captação do dinheiro e o que cobra no empréstimo), já que o mercado irá conhecer melhor o cliente com quem estabelecerá relação comercial.

Para quem não aceitar participar do banco de dados, deve haver outras formas de garantir taxas mais baixas de crédito, se é que elas realmente cairão.

Tendências: